sábado, 20 de junho de 2009

Algo terá que mudar...

Hoje de manhã acordei e aproveitei para ler os comentários. São eles que nos fazem sentir que não estamos sozinhos e que afinal esta não é uma luta inglória. Mas hoje li um comentário sobre uma menina... Iara.... e quando fui ao blog senti um arrepio enorme.... uma espécie de Dejá Vu. A nossa luta neste momento é a Alexandra. Mas espero que aproveitemos a energia positiva que foi aqui criada e que possamos apoiar as crianças. Sim, porque é disso que se trata... apoiar as crianças. Não interessa se a criança fica com pais biológicos, ou afectivos. A criança deve ficar onde se tenha a certeza que ela será bem tratada.

Algo tem que mudar...



172 comentários:

  1. Bom dia Fandral :)

    E qual foi a decisão final?

    Paula Barradas

    ResponderEliminar
  2. Bom dia...

    Não sei. Acho que ainda está tudo nos tribunais.

    ResponderEliminar
  3. Fandral

    É mesmo triste e revoltante constatar que a voz das pessoas só surte efeito quando os políticos sentem-se ameaçados pelo voto. Aí sim a mudança de postura é rápida de se ver, afinal, está em jogo a continuidade do poder; poder este que que se agarram com unhas e dentes. Criança não dá voto... Mas nós damos.
    Ontem eu assisti uma reportagem onde o Guterres e Angeline Joli chamavam a atenção para os países onde a violência era tal que para milhares de pessoas a única alternativa era refugiar-se, mas que esses refugiados eram ao mesmo tempo desamparados e mal recebidos nos países para qual iam e que o mundo de certa maneira, "fingia não ver" este absurdo escândalo da humanidade...
    Isso lembra-vos alguma coisa? Algo que tem acontecido continuamente aqui em Portugal? Até quando vão fingir que não vêem?

    ResponderEliminar
  4. Sábado, 1 de Dezembro de 2007
    Especialista deixa alerta

    Fonte: "Rádio Renascença", dia 1 de Dezembro de 2007

    A entrega da custódia de uma menina de seis anos, de Vila Real, à mãe biológica vai ter consequências desastrosas na formação da personalidade da criança, diz a psicóloga Cristina Sá Carvalho.
    Em declarações à Renascença, a especialista acredita que a menina não está preparada para se integrar num novo contexto familiar e afectivo.

    “Uma criança de seis anos está profundamente ligada às pessoas que a criaram, lançou as bases para a estruturação da sua personalidade e, por muita que esteja a mãe recuperada - que até pode estar e esperemos que sim -, também está a fazer uma aprendizagem que para si é extremamente difícil”, sublinha Cristina Sá Carvalho.

    Esta psicóloga considera que a sociedade portuguesa deve fazer uma reflexão, nomeadamente do ponto de vista legal, sobre que é que é estar apto para cuidar de um menor e em relação ao “interesse maior da criança”.

    “É altamente improvável que os direitos da criança, que as suas necessidades básicas e mais profundas sejam respeitadas quando ela é retirada à família que a acolheu e, se calhar, também convinha definir estas situações das famílias de acolhimento, para que estes casos não voltem a ocorrer”, argumenta.

    O Tribunal Judicial de Vila Real ordenou a entrega à mãe biológica de uma menina de seis anos que vive de os 25 dias de idade com Graça e Américo Carquejo, os pais de acolhimento.

    A Segurança Social tinha retirado a menina à mãe desde tenra idade, devido a problemas de toxicodependência da progenitora.

    Entretanto, Fernando Miranda, advogado da família de acolhimento, garante que vai recorrer da decisão da justiça.

    Já Paulo Souto, advogado da mãe biológica da criança, afirma que esta decisão do tribunal foi de ultimo recurso, e que o casal de acolhimento sempre levantou obstáculos durante o processo.

    A defesa da mãe biológica garante, ainda, que estão reunidas todas as condições - emocionais e financeiras - para acolher a criança, sendo que o Tribunal entende que não existe qualquer fundamento legal para a manutenção da menina na família de acolhimento.

    RV
    Fonte: "Rádio Renascença", dia 1 de Dezembro de 2007

    Paula Barradas

    ResponderEliminar
  5. Realmente Fandra.... parece fotocópia

    Mas parece que o Estado Português e os Tribunais não aprendem e teimam em cometer os mesmos erros.

    Que revolta isto provoca! Mas este povo andará cego para deixar que continuem a acontecer estas atrocidades?

    (apetece-me dizer uma asneira)

    Paula Barradas

    ResponderEliminar
  6. o blog "todospelaiara.blogspot.com" já não existe....

    ResponderEliminar
  7. Bom dia a todos!
    Não tinha conhecimento deste caso...mas parece que Portugal não aprende!!!
    Mais uma criança em sofrimento quando não devia ser assim! Todas as crianças deviam apenas sorrir!
    Um abraço para si, Jorge, e mais uma vez, para todos os que aqui comungam a felicidade dos nossos meninos e meninas.
    Teresa

    ResponderEliminar
  8. Bom dia a todos

    O probela do meu ponto de vista é que quem pode mudar estas situações nãO passa por elas e por isso não são importantes porque concerteza nenhum deles têm familiares nesta situação senão a lei já tinha sido alterada muito tempo e hoje não estaríamos aqui.

    ResponderEliminar
  9. Bom dia amigos
    acho muito importante que continuemos esta luta com as nossas opiniões sobre a vida da Alexandra que é uma caso divulgado e conhecido. De certeza que ajuda a aumentar a sensibilização das pessoas para estas leis que consideram as familias de acolhimento totalmente descartáveis. Quem não tem medo de acolher uma criança que está em perigo, mas que não tendo quaisquer direitos poderá vir a perdê-la de um dia para o outro com o sofrimento que isso acarreta para ambos os lados depois de se terem criado tantos laços afectivos!
    Por outro lado, se gostaram da minha carta ao presidente russo, penso adaptá-la um pouco e colá-la no blog de apoio russo e enviar a organismos de lingua francesa. É certo que os franceses não levam muito em conta messagens em língua inglesa porque sentem algum "desgosto" por a sua língua ter perdido influência para ó inglês.
    Fui durante vários anos imigrante nesse país, fui sempre acarinhada e lá tenho muitos amigos. São pessoas muito simpáticas e sinceras. Poderão ajudar.
    Na minha próxima ida a Fátima, as minhas orações serão para essas crianças.

    ResponderEliminar
  10. Gostaria de acompanhar o caso da Iara,
    mas para mim, agora, devemos focalizar na Alexandra.
    Certamente que a Iara está sob vigilancia, enquanto a Alexandra não sabemos se terá alguém para a proteger dos riscos a que esta exposta.
    Agora, é a Alexandra...
    depois será a Iara e o...próximo que vier.

    ResponderEliminar
  11. Mobilizar pela Alexandra é comover a opinião pública. Mobilizar pela mudança da lei é transformar a mentalidade. Penso que não são situações divergentes.

    ResponderEliminar
  12. BOM DIA,

    Todos estamos com a Alexandra porque, como já disse, a Pequena Grande Alexandra com o seu grito despertou-nos para uma injustiça que, como já constatamos, se comete por várias vezes....

    A Alexandra deu cara a uma causa com a qual todos nos manifestamos... claro que há casos mais e menos graves, dentro do sofrimento destas crianças umas ainda estão mais sujeitas a sofrimento e aqui a Alexandra tem infelizmente mais pontos. pois, imagine-se uma criança que não só é afastada da familia que ama como é posto num país longe numa lingua estranha numa cultura estranha... já nem falar das pessoas que partilham a casa... e a casa... enfim quando estas crianças são sujeitas a estas transferencias familiares mas tem as duas familias de perto é duro mas acho que é mais fácil....

    este grupo de amigos da Alexandra, não é só apoiante de uma menina, entendo que assim que a Alexandra volte, se Deus Quizer irá voltar, e consiga alguma paz nós vamos continuar a luta pela defesa dos supremos interesses das crianças...

    Estas crianças reunem todas o nosso amor e compaixão... todas, porque há muitas que passaram por esta tormenta de transferencia familiar... a esmeralda, a Rose (q mataram em frança), uma menina do porto que o pai matou... outra menina que avó a queimou porque disse q gostava mais da madrinha... há tantas Xanas.... eu não quero é que no futuro, neste mundo onde eu decidi por duas crianças (as minhas filhas) haja mais rostos como o da alexandra no dia 18 de Maio.... não quero e lutarei... conforme posso... o mundo esta a mudar e a melhorar todos sabemos que o passado a vida a todos era muita mais dolorosa... mas se mudou foi porque houve pessoas que deram o primeiro passo....

    Ainda hoje ajoelhei-me perante a Nossa Senhora de Fátima... e roguei protecção por todas as crianças... todas... as Xaninhas, as Esmeraldas, os Martins que desaparecem dos braços dos seus pais que os amam por mero acidentes... pelas minhas e pelas vossas... mas claro eu sinto que é urgente a pequena Alexandra voltar por isso invoquei o nome dela e pedi pelo seu regresso a Portugal e pela paz entre as familias...

    Não sou perfeita tenho defeitos... eu sei mas as minhas intenções por um mundo melhor são puras mas também intencionais... até porque eu acredito que as crianças de hoje são os adultos de amanhã e eu e as minhas filhas e se no futuro netos e netas vamos conviver com estes adultos por isso eu quero homens e mulheres equlibrados e justos...

    perdoem-me o longo desabafo... mas pelo menos aqui sei que me entendem...

    ontem fiz umas perguntas...

    a cadelinha foi com a xana para a pousada?

    Porque não vimos o programa da Natalia ondé é enxovalhada?

    Paula de Odivelas

    P.S - Senhores que gerem o PELALEXANDRA, por favor respondam ao meu mail assim que vos for possivel. vejo muita aceitação e vontade de marcarmos um encontro no Santuário de Fátima independentemente do que acontecer nos dias próximos.
    Obrigada

    ResponderEliminar
  13. Olá amigos
    venho todos os dias espreitar apesar de não deixar coments.

    Realmente estas situações são DEMASIADO RECORRENTES
    ESTÁ NA HORA DE JUNTAR OS VÁRIOS MOVIMENTOS QUE LUTAM POR ESTAS CRIANÇAS EM SOFRIMENTO.

    vamos continuar a chatear os politicos porque são eles que mudam as leis
    aqui vão de novo os e-mails de muitos deles:
    (força toca a contar estas histórias até á exaustão...vamos conseguir...)

    Maria Mendes



    ahenriques@psd.parlamento.pt, amanso@psd.parlamento.pt, amiranda@psd.parlamento.pt, anazita@psd.parlamento.pt, asantos@psd.parlamento.pt, cp@psd.parlamento.pt, dpacheco@psd.parlamento.pt, gp_psd@psd.parlamento.pt, joserauldossantos@psd.parlamento.pt, jpereira@psd.parlamento.pt, luiscf@psd.parlamento.pt, miguelmacedo@psd.parlamento.pt, miguelsantos@psd.parlamento.pt, mmachado@psd.parlamento.pt, mpantao@psd.parlamento.pt, pduarte@psd.parlamento.pt, ppc@psd.parlamento.pt, vcosta@psd.parlamento.pt, adaosilva@psd.parlamento.pt, carlosgoncalves@psd.parlamento.pt, carlos-lopes@psd.parlamento.pt, emidioguerreiro@psd.parlamento.pt, fbduarte@psd.parlamento.pt, fernandoantunes@psd.parlamento.pt, f.negrao@psd.parlamento.pt, fernandosantospereira@ar.parlamento.pt, gsilva@psd.parlamento.pt, raguas@psd.parlamento.pt, melchior@psd.parlamento.pt, mfrasquilho@psd.parlamento.pt, m.pignatelli@psd.parlamento.pt, mrelvas@psd.parlamento.pt, mdavid@psd.parlamento.pt, pedro.pinto@psd.parlamento.pt, pedroquartin@psd.parlamento.pt, isabelm@psd.parlamento.pt, rc@psd.parlamento.pt, rmartins@psd.parlamento.pt, acandal@ps.parlamento.pt, baltazar@ps.parlamento.pt, bravonico@ps.parlamento.pt, camorim@ps.parlamento.pt, catarina@ps.parlamento.pt, cduarte@ps.parlamento.pt, cfaustino@ps.parlamento.pt, clopes@ps.parlamento.pt, fjesus@ps.parlamento.pt, galamba@ps.parlamento.pt, gloria@ps.parlamento.pt, goncalves@ps.parlamento.pt, hugonunes@ps.parlamento.pt, isabeljorge@ps.parlamento.pt, isantos@ps.parlamento.pt, jcouto@ps.parlamento.pt, joanalima@ps.parlamento.pt, joaosoares@ps.parlamento.pt, jovita@ps.parlamento.pt, jserrano@ps.parlamento.pt, laranjeiro@ps.parlamento.pt, lcoutinho@ps.parlamento.pt, lfduarte@ps.parlamento.pt, lucioferreira@ps.parlamento.pt, luisasalgueiro@ps.parlamento.pt, manuelamelo@ps.parlamento.pt, manuelmota@ps.parlamento.pt, martarebelo@ps.parlamento.pt, mbelemroseira@ps.parlamento.pt, mcalha@ps.parlamento.pt, mcoelho@ps.parlamento.pt, mjrodrigues@ps.parlamento.pt, mlruivo@ps.parlamento.pt, mmcarrilho@ps.parlamento.pt, mojoao@ps.parlamento.pt, mrosario@ps.parlamento.pt, msa@ps.parlamento.pt, pjfpedroso@hotmail.com, ramires@ps.parlamento.pt, renato@ps.parlamento.pt, rita@ps.parlamento.pt, rrodrigues@ps.parlamento.pt, rvieira@ps.parlamento.pt, sonia@ps.parlamento.pt, ssanfona@ps.parlamento.pt, susanacosta@ps.parlamento.pt, teresavenda@ps.parlamento.pt, verajardim@ps.parlamento.pt, vitalinocanas@ps.parlamento.pt, ajseguro@ps.parlamento.pt, ramospreto@ps.parlamento.pt, claudia@ps.parlamento.pt, davidmartins@ps.parlamento.pt, eduardo@ps.parlamento.pt, esmeralda-ramires@ps.parlamento.pt, fernandocabral@ps.parlamento.pt, fernandojesus@ps.parlamento.pt, isabelcoutinho@ps.parlamento.pt, isabelvigia@ps.parlamento.pt, jalmeida@ps.parlamento.pt, jseguro@ps.parlamento.pt, jstrecht@ps.parlamento.pt, jacarvalho@ps.parlamento.pt, josejunqueiro@ps.parlamento.pt, joselello@ps.parlamento.pt, malegre@ar.parlamento.pt, mjgamboa@ps.parlamento.pt, marisa.costa@ps.parlamento.pt, tvenda@ps.parlamento.pt, fl@pcp.parlamento.pt, jm@pcp.parlamento.pt, js@pcp.parlamento.pt, ac@pcp.parlamento.pt, cc@pcp.parlamento.pt, mgp@pcp.parlamento.pt, apb@pcp.parlamento.pt, gp_pcp@pcp.parlamento.pt, blocoar@ar.parlamento.pt, fernando.rosas@be.parlamento.pt, jorge.costa@be.parlamento.pt, alda.macedo@be.parlamento.pt, ana.drago@be.parlamento.pt, bloco.esquerda@bloco.org, cecilia.honorio@be.parlamento.pt, francisco.louca@be.parlamento.pt, helena.pinto@be.parlamento.pt, jose.casimiro@be.parlamento.pt, joao.semedo@be.parlamento.pt, luis.fazenda@be.parlamento.pt, mariana.aiveca@be.parlamento.pt,

    ResponderEliminar
  14. "Estas decisões criam danos irreparáveis"
    Fonte: "Jornal de Notícias" edição 1 de Dezembro de 2007

    A decisão do Tribunal de Vila Real de retirar uma criança, de seis anos, à família de acolhimento que a recebeu com 25 dias "é um absurdo e é a consequência de uma completa ausência de políticas para a criança", defendeu o pedopsiquiatra Eduardo Sá. Para aquele especialista é importante frisar que a criança criou laços de afectividade e que "sob o seu ponto de vista aquelas pessoas são os seus pais". Já para a lei, acrescenta Eduardo Sá, "estas famílias não têm direitos, constituindo, apenas, uma medida provisória". Uma medida provisória que custa ao Estado bem menos dinheiro do que custa uma criança institucionalizada.Acontece que, corrobora o pedopsiquiatra, "as medidas provisórias em Portugal arrastam-se anos, sem haver uma decisão concreta sobre o futuro da criança". Neste caso, esta menina ficou seis anos com esta família, tendo agora que passar um mês numa instituição onde será feita a reaproximação à mãe biológica, a favor de quem o tribunal decidiu; e receber acompanhamento especializado.
    "Isto é uma catástrofe. É, mais uma vez, pegar na vida de uma criança e colocá-la a zero. Esta criança vai desmoronar. Isto não se pode fazer. Não se pode arrastar uma medida provisória como esta por seis anos, porque as crianças criam laços, e depois alguém tentar reparar a legalidade desta forma, que é absurda. A que propósito é que esta criança vai ter de ficar de quarentena? ", argumentou.
    De facto, segundo a lei, as medidas provisórias não deviam ultrapassar os 18 meses. O que acontece é que há crianças que ficam institucionalizadas, ou em famílias de acolhimento, durante anos a fio, sem solução à vista. Muitas vezes não são encaminhadas para adopção porque são visitadas, algumas vezes por ano, pelos pais biológicos, o que leva os tribunais a crerem que estes demonstram interesse pela criança.Entretanto, temos crianças que ficam institucionalizadas até à idade adulta. Numa família de acolhimento, naturalmente ,a criança cria laços muito estreitos com os adultos, adoptando-os como pais. Precisamente para evitar os danos de uma eventual separação, os técnicos sociais contestaram durante anos esta medida , sendo que agora é bem mais visível, até porque o Estado quer retirar das instituições 25% dos seus menores. "O que as pessoas não têm consciência é que estas decisões, [retirar-se uma criança, ao fim de seis anos, da família que adoptou como sua] pode criar danos irreparáveis. No fundo, no final da história, na hora da verdade, quem paga um preço demasiado elevado é a criança", terminou.

    Na lei uma família de acolhimento é uma medida provisória tal qual a institucionalização e deve funcionar como uma instituição. Ou seja, a criança deve receber visitas tal como receberia numa instituição e as partes devem ter consciência de que aquela é uma medida provisória. A família que se sente apta a ser de acolhimento de um menor em risco deve manifestar a sua vontade junto da Segurança Social e esta, após verificar se há condições, contratualiza a situação. Estas famílias recebem por isto um montante que anda à volta dos 100 euros mensais. Numa instituição, a criança custa ao Estado quase 500 euros mensais.

    Leonor Paiva Watson


    podemos muito bem aproveitar este texto e inserir os nomes de crianças que sabemos estar em sofrimento ou até que morreram após decisões dos tribunais...

    Força
    Pela Alexandra,pela Iara,pela Esmeralda ,Pelo Martim, pela Mariana,....

    Maria Mendes

    ResponderEliminar
  15. Olá a todos,
    eu também venho cá várias vezes ao dia, apesar de normalmente nao deixar comentários.

    Temos que manter esta nossa união em prol de uma grande causa " A felicidade da Xaninha e de todas as outras na mesma condição"

    Tal como já foi referido, penso que não nos podemos dispersar, primeiro as nossas forças deverão estar direccionadas para voltar a vermos o sorriso da Xaninha, depois... continuaremos no apoio a tantas outras.

    Já viram o saldo do apoio monetário?
    é muito baixo, vamos lá a ajudar, um bocadinho a cada um nada custa. Já contribui e vou novamente fazê-lo.

    Como é que as nossas figuras públicas conseguem ser tão insensíveis a estes casos? é aquilo a que me questiono diariamente.

    Uma das funções da nossa primeira dama deveria ser estar solidária e atenta a estas causas. Prefere passear ... e gastar o dinheiro dos contribuintes.

    Um bem hajam a todos voçês!

    ResponderEliminar
  16. Boa tarde amigos
    Agora que me junto a vós queria dizer-lhes o que li ontem num jornal semanal aqui da refião centro "O Ribatejo". Na semana passada houve uma conferência em Santarém na Escola Superior de Educação de Santarém, no qual a Secretária de Esatado Adjunta e da Reabilitação Social, Idália Moniz, debatia o tema"Infância, o passado e o presente". Encerrou o evento a dizer e passo a transcrever "Temos que ouvir mais as crianças quando se tratam de decisãoes relacionadas com a sua vida".
    È isto que me revolta e me enfurece, os técnicos falam, todos emitem opiniões a favor das crianças, parece que todos querem o bem das crianças, o seu superior interesse, então, porquê a continuação de decisãoes injustas e crueis?
    Depois de uma decisão judicial vem todos dizer que os tribunais são soberanos e que não há nada a fazer.
    Mas que falta de respeito pelas pessoas é esta? Principalmente pelas crianças.
    No correio da manha de hoje se puderem leiam a crónica do Gonçalo amaral, sobre a institucionalização das crianças. Cabe aos pais sejam eles biológicos ou não educarem as suas crianças e amá-las. As instituições podem ser um recurso mas não o primeiro.
    Desculpem o desabafo, mas como já vos tinha dito este fim de semana não é fácil. Estou ansiosa por noticias da nossa alexansdra.
    Um abraço
    Graça Lobato

    ResponderEliminar
  17. A história da Iara também me "tocou" muito... não me lembro do caso.... A Xaninha foi, sem dúvida, o nosso despertador de revolta, da vontade e convicção de que "algo tem de mudar".

    ResponderEliminar
  18. Este foi o mail que enviei para alguns deputados.
    Juntei-lhe o acordaõ para eles não se esquecerem da burrada que o sr juiz fez com a vida de umA FELIZ E INOCENTE CRIANÇA.

    Vá pessoal toca a escolher deputados e politicos e enviar...
    Nós nunca mais haveremos de ouvir histórias macabras como a da Alexandra da Iara da Joana da Esmeralda do Diogo nesse dia poderemos sentir mais em paz e mais orgulho na nossa sociedade civil


    o que vamos dando conta srs politicos
    é de que uma efectiva politica deapoio e protecção das crianças não existe!!!
    Não existe "o superior interesse da criança",não são ouvidas as crianças não se lhes respeita um projecto de vida,os afectos etc...

    São horriveis os casos que se repetem:ALEXANDRA, IARA, MARTIM....etc.etc.nalguns casos infelizmente pagaram com a própria morte as decisões erradas deos tribunais e/ou a incúria do governo e do estado Mariana,Joana ,Diogo........


    Até quando????

    Queremos mais e melhor para as nossas crianças!!!Queremos já!!!

    Maria Mendes



    http://xaninhanossa.blogspot.com/



    http://juntospelaiara.blogspot.com/




    "Estas decisões criam danos irreparáveis"
    Fonte: "Jornal de Notícias" edição 1 de Dezembro de 2007

    A decisão do Tribunal de Vila Real de retirar uma criança, de seis anos, à família de acolhimento que a recebeu com 25 dias "é um absurdo e é a consequência de uma completa ausência de políticas para a criança", defendeu o pedopsiquiatra Eduardo Sá. Para aquele especialista é importante frisar que a criança criou laços de afectividade e que "sob o seu ponto de vista aquelas pessoas são os seus pais". Já para a lei, acrescenta Eduardo Sá, "estas famílias não têm direitos, constituindo, apenas, uma medida provisória". Uma medida provisória que custa ao Estado bem menos dinheiro do que custa uma criança institucionalizada.Acontece que, corrobora o pedopsiquiatra, "as medidas provisórias em Portugal arrastam-se anos, sem haver uma decisão concreta sobre o futuro da criança". Neste caso, esta menina ficou seis anos com esta família, tendo agora que passar um mês numa instituição onde será feita a reaproximação à mãe biológica, a favor de quem o tribunal decidiu; e receber acompanhamento especializado.
    "Isto é uma catástrofe. É, mais uma vez, pegar na vida de uma criança e colocá-la a zero. Esta criança vai desmoronar. Isto não se pode fazer. Não se pode arrastar uma medida provisória como esta por seis anos, porque as crianças criam laços, e depois alguém tentar reparar a legalidade desta forma, que é absurda. A que propósito é que esta criança (......)---por ano, pelos pais biológicos, o que leva os tribunais a crerem que estes demonstram interesse pela criança.Entretanto, temos crianças que ficam institucionalizadas até à idade adulta. Numa família de acolhimento, naturalmente ,a criança cria laços muito estreitos com os adultos, adoptando-os como pais. Precisamente para evitar os danos de uma eventual separação, os técnicos sociais contestaram durante anos esta medida , sendo que agora é bem mais visível, até porque o Estado quer retirar das instituições 25% dos seus menores. "O que as pessoas não têm consciência é que estas decisões, [retirar-se uma criança, ao fim de seis anos, da família que adoptou como sua] pode criar danos irreparáveis. No fundo, no final da história, na hora da verdade, quem paga um preço demasiado elevado é a criança", terminou.

    Na lei uma família de acolhimento é uma medida provisória tal qual a institucionalização e deve funcionar como uma instituição. Ou seja, a criança deve receber visitas tal como receberia numa instituição e as partes devem ter consciência de que aquela é uma medida provisória. A família que se sente apta a ser de acolhimento de um menor em risco deve manifestar a sua vontade junto da Segurança Social e esta, após verificar se há condições, contratualiza a situação. Estas famílias recebem por isto um montante que anda à volta dos 100 euros mensais. Numa instituição, a criança custa ao Estado quase 500 euros mensais.

    Leonor Paiva Watson

    ResponderEliminar
  19. Continuemos a acreditar que a natália regresse com as meninas para junto de quem lhe quer bem e nas nossas orações que se torne com a nossa ajuda e apoio numa boa mãe, carinhosa, atenta, como devem ser as mães.
    Natália, volta, queremos te dar a mão, ajudar-te, sem rancores, sem discriminação, queremos que faças parte da nossa GRANDE família.
    Todos estamos aqui para te ajudar.
    Um beijo do tamanho do mundo.
    Graça Lobato

    ResponderEliminar
  20. Boa tarde, - A Alexandra é uma criança bondosa, bonita e com uma boa casa e vida! A mãe Biológica gosta muito dela e como é lógico, quer a filha ao lado dela. Mas agora é que os problemas surgem! Porque a mãe não sabe como poderá cuidar dela... Os Juízes Portugueses tiveram muito a ver com isto, porque a Comissão Portuguesa(não sei bem se foi também) e o Tribunal Português quiseram que a Alexandra fosse para a Rússia! Obrigada pela a atenção. Sou a Matilde e também gostava de participar no Blog de comentários a favor da Alexandra. P.S- O que será que o Governo Português vai resolver fazer em relação a tudo isto?

    ResponderEliminar
  21. Meus amigos

    Acabei de enviar um e-mail a um elemento do grupo parlamentar que tive oportunidade de conhecer pessoalmente.
    È mais um reforço na nossa luta pela Alexandra e por todas as crianças.
    Depois direi o que respondeu.
    Um abraço
    Graça Lobato

    ResponderEliminar
  22. Angela, concordo consigo. No entanto, todos sabiam que na Russia a mãe não teria as melhores condições para ter a criança. Não discordo que goste dela e que lhe queira muito. Agora, a borrada (desculpem a expressão) do nosso juís, é que não proporcionou à mãe que o fisesse cá em Portugal.
    Ou por falta de visto ou sei lá porquê?
    Por isso defendemos que ela pode reconstruir a sua vida com as suas filhas, com todo o seu amor, dedicação, com o nosso apoio e ser uma boa mãe.
    Isso, eu não duvido!
    Aliás nota-se que o que precisa é de estabilidade emocial, protecção, atençaão.
    Graça Lobato

    ResponderEliminar
  23. Aproveitemos este espaço para enviar um sinal de confiança a Natália.
    Paremos de recriminá-la. Vamos colocar o passado numa pasta fechada.
    A Alexandra é sua filha, mas permita que seja nossa filha de coração.
    Estamos a estender-lhe a mão...acredite, confie, aceite.

    ResponderEliminar
  24. Jo vi que aquele texto que encontrei encontrou uma boa fonte para ser divulgado, até porque, aparentemente passou despercebido.

    Dói-me pensar que a Iara (assim como outras crinaças em risco) não teve o apoio que está a Alexandra a ter neste momento. E falo da Iara porque é um caso muito semelhante ao da Alexandra.

    Quanto á Natália irei sempre recriminá-la. Tenho de engolir uma girafa por ela voltar mas terá de ser o remédio para a Alexandra voltar, mas não sou hipócrita. As coisas têm de ser chamadas pelo nome. Há já alguns dias que não vejo aqui comentários acerca do comportamento daquela "senhora" por uma questão de bom tom e de se fazer uma abordagem politicamente correcta. Não quer dizer que se o assunto não foi chamado novamente à baila que eu agora venha dizer que: pois e tal, se calhar não agiu bem e pôr paninhos quentes. É coisa que não faço.

    Lá por a irmos ajudar em PROL DA ALEXANDRA não faz dela uma mãe correcta nem outras coisas que não vou agora tecer comentários para novamente ser politicamente correcta.

    Paula Barradas

    Nela:

    Falar de outras crianças aqui não quer dizer que nos faça desperçar do caso da Alexandra. Até é egoísta não aproveitar estas ocasiões para encontrar casos semelhantes e ver o quanto a justiça portuguesa ao longo dos anos continua a cometer o mesmo tipo de "crime".

    E não sabemos até que ponto a Iara estará sob "vigilância". Deus queira que não venhamos a ter notícias nesta menina por causa de alguma tragédia, como a que aconteceu ao Edgar, às 3 crianças que morreram esta semana.

    Qaundo diz que nos devemos focalizar na Alexandra, não deve querer dizer certamente que não devemos pensar noutras situações até como termo de comparação. Por isso não concordo muito com o seu comentário, desculpe lá. Parece-me um pouco desfazado.

    Paula Barradas

    ResponderEliminar
  25. Cara Ângela,
    discordo completamente consigo quando diz que a Natalia gosta muito da Alexandra.... por acaso mal tratos, negligência, etc são atitudes de amor?
    pegar na menina e privá-la do amor de uma verdadeira família, de uma boa vida, contra a vontade da Alexandra, para a levar para uma vida miserável em termos materiais e sentimentais,... É GOSTAR DELA?...
    Mais, o termo gostar aplica-se por exemplo :gostar de uma casa, de um carro, de um dia de sol, ...sendo assim, pode ser que a Natalia goste "um bocadixinho "da Alexandra.
    Pense um bocadinho antes de dizer asneiras!

    ResponderEliminar
  26. Nela, subscrevo as suas palavras. O passado da natália deve ser considerado isso mesmo, ... passado.
    Agora tem uma nova vida pela frente, com a sua ajuda, com a minha,com a de todos deste blog que manifestam o seu apoio, a juda a solidariedade.
    Natália se te derem estes testemunhos a ler, acredita que há muita gente disposta a dar-te a mão. Agarra esta oprtunidade, e vem para junto de que lhe quer bem, quer tanto às suas filhas.
    Natália, a Alexandra tem tantas mães do coração, é uma verdadeira menina desejada e amada.
    Natália, volta.
    Um abraço
    Graça Lobato

    ResponderEliminar
  27. E por favor, chamem Natália à parideira da Xaninha e nunca MÃE.

    ResponderEliminar
  28. " A mãe biológica gosta muito dela" - A piada da semana!

    Escuso-me a comentar.

    Paula Barradas

    ResponderEliminar
  29. Estarei pronta para ajudar outras crianças que precisem,pois isto é uma vergonha que por causa de decisões incompetentes estejam crianças a MORRER CRIANÇAS, TEM QUE HAVER UM PONTO FINAL NISTO RÁPIDAMENTE.
    O caso da Xaninha choca-me na medida em que não está no país que nasceu, não consegue comunicar, a familia para ela são estranhos, a cultura é outra, a comida é diferente.....são uma data de factores contra a felicidade dela.

    raquel

    ResponderEliminar
  30. Meus amigos

    Acredito e apoio que nos devemos encontrar. As palvras às vezes quando escritas não têm o mesmo sentido que faladas. Era bom reunirmo-nos para podermos falar tranquilamente uns com os outros, tornar esta corrente ainda mais forte. Até lá, uma coisa è certa, e estamos em sintonia: Todos queremos a nossa Alexandra de volta. È este esforço e esta intenção que temos que pedir, vincar nas nossas oraçoes, nos nossos desejos, enfim cada qual à sua maneira.
    È este desejo que não pode vacilar, e a esperança que vamos conseguir.
    Com amizade,
    Graça Lobato

    ResponderEliminar
  31. Paula Pinheiro, eu sei que tem razão. Eu dou-lhe razão. A MÃE desta criança á D. Folorinda, ponto final! Mas agora, vamos centrarmo-nos no regresso da nossa menina, por favor.
    Graça Lobato

    ResponderEliminar
  32. Raquel mais uma vez quero dizer que sofro e me choca como a si. Acredito que como eu viva estes momentos com angustia, dor e bastante ansiedade para virar toda esta situação.
    A minha vida alterou-se de à um mês para cá. O sofrimento é muito por esta menina.
    Raquel, Paula Pinheiro, Paula Barradas, e outros amigos mais uma vez vos digo que estou convosco. Eu não vou desistir nunca pela Alexandra, e sei que posso contar com o vosso apoio.Contem comigo para tudo.
    Graça Lobato

    ResponderEliminar
  33. Graça,
    é no regresso da nossa Xaninha que devemos e continuamos centrados, mas não podemos começar a trocar os nomes às pessoas envolvidas.
    Todos sabemos, ou deveriamos saber que a Natalia é apenas um meio para ajudar a trazer a nossa menina,....mas não é por causa disto que vamos elevar a Natália a boa pessoa.... terá antes disso um longo caminho a ser percorrido, ou seja terá que "prestar provas".
    Tenham um bom dia

    ResponderEliminar
  34. Maria!!

    Excelente iniciativa de postar os emails dos parlamentares. Óptimo!!!

    Vamos lá pessoal, toquem a escrever para esse povo. Mas vamos ser assertivos, assim há mais chances das mensagens serem lidas.

    existem algumas revindicações urgentes:

    - Reavaliar a orientação biológica
    - Um tempo limite para a retirada da criança, mas na perspectiva dela, ou seja, se o papá ou a mamã não se "funcionalizarem" em tempo útil para a criança, a oportunidade dali para a frente deveria ser dada somente à criança para iniciar sua nova vida em outro ambiente familiar.
    - Especialização dos tribunais somente para esses fins, onde os magistrados deveriam ter formação em psicologia infantil e sociologia.

    Mais alguma sugestão?

    ResponderEliminar
  35. Olá, boa tarde.
    Tal como já disse anteriormante, independentemente da minha opinião, o mais importante é mantermos o nosso apoio e lutarmos pelo regresso da Xaninha. Em Portugal, que é seu país, terá muitas madrinhas atentas. Aqui, estará perto do seu mundo de afectos. Mesmo que não esteja a viver com a sua famíia do coração, será menos desastroso do que continuar naquele desumano desterro a que a condenaram.

    Srs administradores, têm notícias da Xaninha?

    ResponderEliminar
  36. Paula foi isso que eu quis dizer à pouco num comentário. Se olharmos bem para a natália quando foi para a Russia vê-se que é uma pessoa que precisa de apoio, ela está a precisar de criar a sua estabilidade emocional, precisa que lhe dêm a mão. bem sei e concordo consigo que o desprezo e abandono de uma filha, os maus tratos não fazem dela uma boa mãe, seguramnte que não. Isto não poderemos nunca ignorar. Mas como diz e bem, ela é um meio para trazer a nossa menina. È aqui que temos que lhe dar todas as oportunidades de mostrar que o passado já lá vai, e fazer por mostrar que um dia as filhas possam dizer que a mãe foi uma lutadora e venceu.
    Estamos cá para a ajudar neste longo caminho.
    Concorda comigo?
    Um abraço
    Graça Lobato

    ResponderEliminar
  37. Olá Chamo-me Marlene e tal como vós também espero que a Alexandra, a irmã e mãe voltem. Relativamente a outros casos como o do Martim, sinceramente tenho dúvidas sobre a sua entrega à mãe adolescente. Onde esteve a familia durante 7 meses em que o menino foi entregue a uma instituição? Nenhum organismo retira uma criança a uma mãe se não existir fortes suspeitas de risco para a criança? Como podemos constactar com a Alexandra e muitos outros casos a preferência é sempre pelos laços biológicos. Não me identifico por uma luta pela entrega do menino à mãe adolescente, no caso do Martin. A minha prioridade é e será sempre a luta pelo superior interesse da criança e não pelos progenitores. É pena que ainda não tenha sido esclerecido o que é o superior interesse da criança, que obviamente, na minha opinião, não deve ser o interesse dos progenitores. A criança deve ser retirada aos pais quando estes não cumprem nem têm condições de serem pais e entregue a uma família que reuna essas condições. Os filhos não pedem para nascer,não são propriedade dos progenitores, mas nascendo têm o direito de exigir à sociedade condições para serem felizes. O que eu constacto é que pais que foram nigligentes e aquém o estado deu imensas possibilidades de mudar continuam a gerar filhos que reproduzirão as mesmas atitudes dos pais.
    Para mudar isto é necessário que a criança seja ouvida e que a sua opinião e bem-estar sejam, também, ti´dos em conta. Não concordo com a institucionalização de crianças por tempo indeterminado, as crianças precisam de uma família que as ame e com as quais criem laços de afectos. Afinal, o que todos nós procurámos nesta vida é ser feliz. E ser feliz é amar e ser amado. Esta realidade só mudará na asembleia da república. Como? pressionando, com e-mails (obrigada aos e-mails dos deputados colocados neste blog), manifestações, os nossos governantes. E agora é uma boa altura para exigir a posição dos partidos relativamente a esta matéria. Como? mandando e-mails para eles clarificarem a sua posição
    relativamente a este assunto. Na minha opinião quem deveria decidir estas situações relativas a crianças em risco seriam as Comissões de Protecção de Crianças e Jovens. São instituições constituidas por técnicos da área social e educacional que vão ao terreno diagnosticar as situações dos menores e que nunca decidem individualmente o que fazer. A decisão de retirada e entrega de criança (e só o podem fazer apenas com o consentimento dos progenitores, e temporariamente, em situações de risco eminente, sem o seu consentimento)é sempre feita colegialmente, ou seja, em comissão restrita que é constituida por um grupo de especialista que decidem, em grupo, ouvidos sempre os técnicos que foram ao terreno e realizaram o diagnóstico da situação. As comissões também ouvem as crianças, alías é obrigatório quando estas têm mais do que 11 anos de idade. A sua opinião é tida em conta. O problema é quando os pais não querem a intervenção das CPCJ e aí a situação vai para tribunal e quando isto acontece as CPCJ nada mais podem fazer.
    Espero sinceramente que esta situação mude em Portugal. Já morreram crianças demais com este sistema que já deu provas que não é o mais eficiente. É tempo de pressionar quem manda, para o fazer.
    Quanto a Alexandra devemos continuar a ajudar monetariamente, pois é na minha opinião o que para já, todos podemos e devemos fazer. Um especial obrigada ao Miguel, que nos uniu nesta causa tão nobre e que mantém vivo este blog que é e deve ser o motor de mudança de um Portugal que respeite de facto os direitos das crianças e responsabilize os progenitores quandoe estes não cumprem o seu dever: Serem Pais!
    jacinta Marlene

    ResponderEliminar
  38. Jacinta:

    1º - Apenas pelo facto de uma jovem ser adolescente não dá ao estado o direito de ir buscá-la à maternidade e pô-la numa instituição.

    2 º - Tiram a criança à mãe e vão colocá-la numa instituição a 300 Kms da mãe.... apesar de prometerem à mãe que iam colocar o menino numa instituição mais perto nunca o fizeram.

    3º - Acho que qualquer mulher, por muito jovem que seja se depara com a situação de lhe terem roubado o filho. Isso não é saúvel para ninguém. Eu acho que morria!

    4º - Se podem devolver uma criança com 6 anos à mãe biológica (onde é que ela esteve durante anos?) porque censura uma mãe ou família que segundo diz esteve 7 meses sem querer saber da criança? Qual é o seu critério? o mesmo dos juízes portugueses.

    Ora, faça um favor.... se não compreende a situação daquela jovem mãe, como pode compreender a situação da Alexandra? Primeiro faça um paralelismo sobre 7 meses/ vário anos, depois junte-lhe prostituião, alccolismo e outras coisas... a mãe do Martim não tinha nenhum desses problemas. o Único problema foi ser jovem demais!!! E por isso é crime e por isso lhe roubaram o filho. Mas que raio de mentalidades!

    Paula Barradas

    4 º - Porque não vai

    ResponderEliminar
  39. Acabo de ler a história da Iara. Fiquei arrepiada!

    Afinal, não foi só com a Xaninha que a Justiça portuguesa falhou. O tão aclamado Superior Interesse da Criança não existe em Tribunal nenhum!!! Está tudo errado...

    ResponderEliminar
  40. Pela Alexandra,
    ponderem os comentários á Natália.
    Eu sei muito bem quem é que a Alexandra considera como mãe e respeito INTEIRAMENTE esse vinculo.
    Mas, pela Alexandra, estou disposta a estender uma mão a Natália.
    Moderação nos juizos de valor.

    ResponderEliminar
  41. Pessoal,

    Eu sei que é complicado elevar a Natália a um estatuto de pessoa querida e desejada. Mas esse movimento todo é para que? Para trazer a Xaninha para perto da sua família afectiva, não para dentro da família afectiva (infelizmente). O facto de estarmos todos a torcer por isso envolve ao meu ver algumas posições:
    - Passar por cima dos rancores
    - Estender a mão à Natália e por "tabela" à Xaninha.
    O estender a mão envolve os esforços de pessoas com influência e condições financeiras para dar o suporte prático de sobrevivência, mas esse Estender a mão também tem que ter o nosso apoio. De que valerá haver uma tamanha atmosfera de pressão psicológica de censura e mágoa pela Natália? Ela vai fazer o mais óbvio, não vir e se vier, ir-se embora.

    ResponderEliminar
  42. Subscrevo o que disse a Carla Buarque Valadão.

    ResponderEliminar
  43. Sim os casos são diferentes. O problema da mãe do Martim é ser menor, mas que tem toda a legitimidade no seu filho e não ser retirado para nenhuma instituição, é um acto bárbaro, muito menos poder o tribunal decidir em adopção por parte de outra familia.
    È mais uma vez a manifestação mesquinha, injusta e desproporcionada das nossas instituições, dos senhores drs. juízes que temos nos tribunais?
    Mas onde é que para o bom senso neste país?
    Às vezes penso quecom tanta mediocridade, por parte de magistrados, de técnicos, não estarão apenas a querer obter mediatismo para o seu nome? Para ouvirem falar so seu nome em particular?
    À vezes penso que só pode ser isto?
    Porque meus amigos, quero acreditar que nas universidades onde tiram o curso não os ensiaram aserem tão irresponáveis, tão incompetentes!
    È a falta de profissionalismo, a falta de valores cívicos, a falta de princípios humanos que fazem deles maus profissioanis.
    Graça Lobato

    ResponderEliminar
  44. Subscrevo o que disse a Carla Buarque Valadão. E é por isso que estamos cá todas, estou convosco, já sabem disso.
    Graça Lobato

    ResponderEliminar
  45. Carla, Nela, Paula Pinheiro, Paula Barradas, Lina, Raquel Gomes como estou desejosa de vos conhecer pessoalmente. Somos tão iguais na meneira de pensar, nos sentimentos, na vontade de ajudar, em tanta coisa. Já vi que me identifico tanto convosco, que é bom partilhar com pessoas assim.
    Graça Lobato

    ResponderEliminar
  46. Quando disse que a mãe Biológica(mãe russa)gostava da filha Alexandra enganei-me e escrevi muito mas na verdade queria dizer um pouquinho, peço desculpa. E já agora chamo-me Matilde como já tinha dito,só que utilizei o email da Ângela. CONCORDO TAMBÉM COM A PAULA.

    ResponderEliminar
  47. Eu também concordo com a Paula, e Graça pode-me juntar no grupo que quer conhecer porque também eu estou nesta luta com vossês. Passo tempo interminável neste blog a tentar ajudar. Fui a Braga no dia da manifestação e estou aqui para o que for preciso e moro ao pé de Coimbra.

    ResponderEliminar
  48. Obrigada, Graça. É esta partilha de opiniões, sentimentos, emoções,... que ajuda a aliviar a angústia que nos deixa saber que já passaram 32 dias e ainda nada mudou para a Xaninha!
    Vamos continuar a não baixar os braços!~
    Pela Xaninha e para a Xaninha!

    ResponderEliminar
  49. Já mandei duas mensagens para o email da Alexandra a oferecer o meu apoio e responderam-me nas duas vezes o qual eu agradeço muito. A Alexandra é como se fossea minha outra filha e por nada deste mundo deixarei de lutar por ela.

    ResponderEliminar
  50. Eu também já enviei duas mensagens para o mail da Alexandra mas ninguém me respondeu...

    ResponderEliminar
  51. Lina
    Eles também não respondem logo porque se calhar recebem muitas mensagens o que é muito bom

    ResponderEliminar
  52. Todos sabemos, ou deveriamos saber que a Natalia é apenas um meio para ajudar a trazer a nossa menina,....mas não é por causa disto que vamos elevar a Natália a boa pessoa.... terá antes disso um longo caminho a ser percorrido, ou seja terá que "prestar provas".


    Isto é o que pensam a quase totalidade das pessoas que aqui andam a botar faladura. Sei que há algumas que já começam a dizer para se esquecer o passado e tratar a Natália como gente ... mas, mesmo estas são lobos com pele de cordeiro que logo que possam deitam as unhas de fora.
    Vocês querem cá a Natália para lhe fazer a vida negra e, assim que possam, lhe tirar a filha.
    A frase acima trancrita de uma tal de Paula Pinheiro não deixa margem para dúvidas.
    POR ISSO NATÁLIA FICA LÁ NA RÚSSIA, PORQUE CÁ EM PORTUGAL MESMO QUE TENHAS CASA E EMPREGO (O QUE NÃO ACREDITO), NUNCA MAIS TERÁS SOSSEGO.
    OS PINHEIROS ENCARREGAR-SE-ÃO DE TO TIRAR. A FILHA TAMBÉM TA TIRARÃO LOGO QUE POSSAM.

    Se hovese uma ajuda desinteressada para beneficiar mãe e filha, poderia estar de acordo. Agora o que tentam, nunca. Tentam enganar, seduzir a Natália para vir com a filha para depois lhe pedirem contas.

    Bando de ineptos e egoistas.

    ResponderEliminar
  53. *"trancrita" é um lapso. Como é óbvio queria dizer-se "transcrita"

    ResponderEliminar
  54. Boas,Amigos da XANINHA

    Cá estamos todos a aguardar noticias,vamos aguardar com muita calma,pois certamente as nosssas preces vão ser ouvidas.

    Familia Pinheiro para vós a nossa luta é a vossa luta estamos todos unidos pela mesma causa a nossa PRINCESA voltar para o nosso cantinho.

    Sr.Miguel Macedo aguardo instruções... como está a nossa menina ??? falaram com ela????

    Comigo está um grupo de pessoas (familia e amigos)todos na mesma luta,sempre a perguntarem como está a situação.

    Obrigado por lutarem pela XANINHA

    ResponderEliminar
  55. Também estou ansiosa para saber se está tudo bem com ela. Oxalá sim!

    ResponderEliminar
  56. Paula Barradas, estas por cá agora? Eu queria te perguntar uma coisa.

    ResponderEliminar
  57. Ignorar, por favor.

    Quanto AO QUE NOS UNE, A NOSSA XANINHA, Carla, já fui aos Açores, é lindo, mas a distãncia não significa que não estejamos unidas no pensamento e nas acções. As novas tecnologias, como vemos, põe-nos tão perto, e consegue-se tudo. Se não puder estar presente está no nosso coração. Açores é Portugal!
    Só queria saber como está a nossa menina.

    Já viram como o AMOR por uma criança nos faz num fim de semana estarmos ligadas, e, por mim, confesso, não tenho dado muita atenção à minha filha, nem família nestes dias, ando tão tensa, angustiada, mas talvez isto explique o AMOR de MÂE e o amor pelos outrios. Como podemos descurar um pouco os nossos, pelo interesse do bem estar de uma criança, pelo seu bem, e pelo seu futuro. È de facto maravilhoso. Hà mulheres dignas de o serem e nós somos certamente. Como já tive oportunidade de dizer, Deus colocou-nos na terra com uma missão e chegou o momento, de mostrar-mos a Sua gratidão a Sua aposta em nós.
    Pensemos nisto.
    A nossa persistência è digna de louvar.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  58. Deime-me perguntar-vos uma coisa.

    Não é possivel comunicarmos todas por e-mail ou por outro meio que só nós conheçamos e que com login e password nos permita dar acesso de entrada, só a nós?
    Vocês, minhas amigas, entendem-me?
    Graça Lobato

    ResponderEliminar
  59. Sem dúvida Graça.
    Hoje eu estava vendo o noticiário internacional da SIC e vi como em tantos países há pessoas a lutar juntas por suas causas. O caminho é este, juntar esforços para haver transformações.
    Abços

    ResponderEliminar
  60. Graça
    Eu não sou nada especialista em computadores mas se arra jar outra forma de comunicar diga pois eu também alinho

    ResponderEliminar
  61. Além de ser lindo estarmos aqui unidas a um fim-de-semana, estou presa em casa porque a minha filhota tá com varicela... que petisco! uma semana sem sair de casa :)

    Paula Barradas

    ResponderEliminar
  62. Bom, podemos nos ligar através de uma conta do hotmail, julgo que quase todos terão e podemos falar todas em simultâneo, como num chat normal.

    posso servir de plataforma, dou um e-mail meu e depois voçês mandam-me o vosso e-mail do hotmail e poderemos conversar, eu posso fazer a ponte.

    Paula Barradas

    ResponderEliminar
  63. Olá Paula, eu dei uma saidinha rápida.

    Eu ontem ao fazer algumas pesquisas na net, encontrei um blog apoiante para a mudança da lei nos casos de abusos sexuais de menores. E eu penso que vi o teu nome como colaboradora neste blog... Se assim for, vc poderia dar-me mais detalhes, se este blog ainda é actuante?

    Abços

    ResponderEliminar
  64. Pode-se fazer um grupo atarvés do msn. Não sei como se cria, mas faço parte de um sobre síndrome de asperger, portanto deve haver um procedimento fácil.

    ResponderEliminar
  65. Para contactarmos através do msn, só precisamos de trocar os nossos endereços de e-mail(hotmail) e estarmos on-line ao mesmo tempo.

    ResponderEliminar
  66. Isso, já proibiram pessoas não registadas de comentar, agora escondam-se todos no MSN, é da maneira que este assunto é esquecido num instante.
    Trabalho numa empresa onde consegui mostrar este blog a todos os colegas e onde todos os colegas vieram cá dar uma palavra e desde que o blog está fechado a não registados que nunca mais conseguimos cá vir comentar pois só temos acesso à internet do trabalho e não podemos fazer registos em sites.

    Sinceramente este blog tem-me desiludido imenso pois em vez de abrirem as portas a cada vez mais gente estão a fecha-las.
    Se se juntam escondidos em qualquer lado, digam me como vão chamar mais pessoal pra isto? As pessoas chegam e isto está fechado, vazio, e não há forma de integração.

    Continuo a apoiar a vinda da Alexandra e a sua felicidade, louvo o trabalho de quem fez este blog, mas não concordo que se formem grupinhos ou que impossibilitem outras pessoas de aqui participarem. O mal vai ser sempre da Alexandra se este assunto for esquecido...........

    Fiquem bem

    ResponderEliminar
  67. Lina
    e para quem não tem endereço de hotmail como fazer?
    Obrigado

    ResponderEliminar
  68. Eu

    Eu estava pensando nisto também. Mas será que uma coisa invalida a outra?
    É verdade pessoal, temos que ponderar bem isso. Muita gente não escreve, mas vem ver o que se passa. Temos que ponderar se não será um passo de fechamento, quando o que queremos é exatamente mobilizar.

    ResponderEliminar
  69. Outra opinião do EU muito pertinente, é que como ficou mais difícil postar aqui, as pessoas vão desistindo. Já repararam que nunca mais ninguém de outro país postou?

    Olha, acho que isso deveria ser revisto sim!

    ResponderEliminar
  70. Eu tal e qual como muitos dos apoiantes da Xaninha venho várias vezes ao dia ver se há noticias da nossa menina e ler os vossos comentários.

    Não percebo o que quer dizer fechar o blog, mas uma coisa sei quero apoiar esta causa e ajudar no que for preciso.

    Só peço que vão dando noticias, aquelas que podem ser divulgadas. Sei que muita coisa que esta a ser feita para que a Xaninha volte não pode nem deve ser divulgada, para o bem do processo.

    Se organizarem algum encontro, mesmo que seja para angariar fundos para esta causa, contem comigo.

    Tudo pela Xaninha.

    Fátima Dias - Sintra

    ResponderEliminar
  71. Fátima, não era para fechar o blog, nem somos nós que poderíamos fazê-lo, apenas surgiu uma opinião em trocarmos emails para podermos falar on line. Acontece que o EU apontou para dois pontos importantes e que concordo plenamente. O 1º é que isso pode afastar as pessoas daqui com a criação de um outro local de debate e troca; o outro ponto é que, depois que o blog dificultou o acesso a deixar um post, sem dúvida diminuiu muito o nª de pessoas que fazem o seu contributo aqui deixando uma mensagem.

    Srs. do blog, isto merece uma reflexão!

    ResponderEliminar
  72. Não Carla eu não faço parte desse movimento. Se calhar é uma boa oportunidade para eu começar a fazer parte .

    Quanto ao Eu, não tenho satisfações a dar, mas já que julga que temos alguma coisa a esconder, leia para trás e talvez perceba o porquê de arranjarmos outra forma de comunicar. Porque somos um grupo de pessoas com interesses comuns e não achamos bem estar aqui a debater outros assuntos que não cabem no contexto de "Pela Alexandra". Espero que a "justificção" lhe afaste ideias que não serão das melhores dado o contexto do seu comentário.

    Paula Barradas

    Paula Barradas

    ResponderEliminar
  73. Além do mais, esqueci-me de comentar, se eu quiser falar da minha vida particular, seja dar morada ou nrs de telefone, não vou deixa-los num lugar público. Se o Eu o faz isso é consigo.

    Paula Barradas

    ResponderEliminar
  74. Paula,

    Agora vou discordar de você neste ponto. Sinceramente eu acho que há espaço para o debate de idéias, temos que ter cuidado com espírito de grupo não se transformar em corporativismo, do tipo se vc não está comigo, está contra mim!
    Concordo que é uma chatice e uma baixaria algumas pessoas que vieram cá para deitar tudo abaixo, xingando e enxovalhando, sem nenhuma ponta de argumentação, só com aquele espiritozinho destrutivo mesmo. Nestes casos, os bloguistas têm que estar atentos e fazerem uma moderação.
    De resto acho que fechar-nos não é producente.

    Abços sinceros

    ResponderEliminar
  75. BBom, julgo que foi o próprio Miguel Macedo que áqui há tempos postou que se quisessemos fazer isso havia um fórum e pelo comentário aqui deixado:

    "Carla, Nela, Paula Pinheiro, Paula Barradas, Lina, Raquel Gomes como estou desejosa de vos conhecer pessoalmente. Somos tão iguais na meneira de pensar, nos sentimentos, na vontade de ajudar, em tanta coisa. Já vi que me identifico tanto convosco, que é bom partilhar com pessoas assim."

    o meu entender pelos vistos foi outro. Ou eu interpretei mal ou foram as outras pessoas. De qualquer modo acho que as ideias sobre a Alexandra devem ser sempre aqui postas.

    Paula Barradas

    ResponderEliminar
  76. E uma coisa não invalida as outras. Existem vários tipos de grupos e talvez até possamos estar interessadas em criar outros tipos de intervenções. Aliás já fui aqui "criticada" por falar de outros casos que não o da Alexandra e se nós quisermos formar um grupo para conversar sobre outros assuntos ninguém tem nada a ver com isso.

    Paula Barradas

    ResponderEliminar
  77. P.S. - Não tenho nada a objectar a quem se quiser juntar ao tal dito "grupo" de que falam, até já chamaram corporativismo, para debater outros temas.

    Paula B

    ResponderEliminar
  78. Ó Paula...
    Eu não chamei esse ou aquele de corporativista, disse que temos que ter cuidado para o espírito de grupo não fechar as portas para quem queira vir aqui e até discordar do movimento! desde que fundamentado e de maneira constructiva. Trocar emails com as pessoas que estão mais em contacto pode ser uma óptima idéia pois as pessoas vão querendo se conhecer melhor e até falar de coisas mais privadas, como vc falou. Eu mesma dei um exemplo de um grupo que eu participo no MSN. Mas depois ponderei e percebi que o ponto de encontro sobre a Alexandra e assuntos afins deveria continuar aqui e existe um chat aqui mesmo no blog para se falar on line.
    Mas o ponto crucial desta reflexão é, vale a pena dificultar os acessos aos posts dos usuários que não tem conta na net?

    Pessoal da idéia da troca de emails, esta posição que eu expús acima não invalida querermos nos conhecer melhor, eu já fiz montes de amizades na net em virtude de comunidades em que eu participo.

    Paula B... Já vi que ficou aborrecida comigo mas, acho que não é por aí.

    Abços

    ResponderEliminar
  79. Não fiquei nada aborrecida :)

    Vou até ao banho

    até logo

    Paula B

    ResponderEliminar
  80. Eu, pessoalmente, apenas quero fazer parte de um movimento que pretende ajudar a Alexandra. Só.
    Sou defensora da abertura e pluralismo.
    Estou com qualquer um/uma que partilhe o desejo de algo fazer pela Xaninha.
    E não sou um lobo disfarçado de ovelha com a Natália.
    Muito sinceramente, gostaria de ajudá-la.
    Primeiro, porque é a mãe biológica da Alexandra.
    Segundo, porque é um ser humano «quebrado» pela vida...
    Se só ajudarmos aqueles de quem gostamos ou aqueles que «mereçem», que mérito tem esse gesto nobre?

    ResponderEliminar
  81. O meu pensamento neste momento é que temos o dia de Sábado práticamente chegado ao fim por isso já só falta domingo. Na segunda a nossa Xaninha regressa das férias creio que nesse dia ainda não teremos novidades mas pode ser que sim. Agora o que me preocupa é não saber nada da Alexandra, se está bem, se melhorou da alergia, queria tanto dar-lhe uns miminhos.Mas como não posso a Alexandra está sempre no meu pensamento e no meu coração. Pena que a Alexandra não saiba que tantas pessoas a querem ver feiz.

    ResponderEliminar
  82. Desculpem-me pela insistência. Mas acho que foi falado aqui um ponto importante sobre a
    "abertura" do blog através do acesso facilitado de postagem. Eu posso imaginar que o que levou a essa decisão foram algumas postagens inconvenientes e agressivas mesmo. Mas noto que está menos diversificado o nº de pessoas que deixam mensagens. Já havia visto muitas pessoas de fora dando os seus contributos aqui, até mesmo uma associação de pais da Rússia.

    Srs. do blog isto não merece uma reflexão?

    Será que vcs poderiam tecer algum comentário?

    ResponderEliminar
  83. Ok, tambem concordo que teremos de "abrir" mais o blog.

    Vou tratar disso!!

    ResponderEliminar
  84. Sr.Miguel Macedo alguma noticia da nossa menina???

    ResponderEliminar
  85. Boa noite. Uma curiosidade! A cadelinha Lucia foi com a Alexandra passar estes dias?
    Desejo muito que a menina volte e seja de novo feliz como era anteriormente!!!Não desistem por favor. Apesar de muitos termos este desejo de ajudar, pouco podemos fazer. Só realmente quem tem înfluência no caso pode intervir. Sejam fortes, por favor. Cumprimentos para todos os amigos da Alexandra. Mónica

    ResponderEliminar
  86. Faz hoje um mês que a Alexandra aterrou na Russia! Há um mês que dorme em cima do forno e sem privacidade alguma.
    Espero que tenham tratado bem da Lucia e do filhote, na ausência da sua dona.
    Anseio por boas notícias, como todos os outros e sinto falta de paz interior. Tomara que tudo se resolva para poder dencansar a mente e respirar de alívio.
    Não quero ser chata, mas necessitamos de sentir a presença dos Srs. do blog, Miguel Macedo, Isabela, ... Falando connosco tornam o ar mais leve! Boa noite a todos, m.o. Aveiro

    ResponderEliminar
  87. Continuamos aqui pela Alexandra! Até a termos em Portugal, não nos demovemos!

    ResponderEliminar
  88. Bom dia, bom Domingo para todos, especialmente, para a Xaninha!
    Vou à missa e vou pedir para que os próximos dias lhe tragam alegrias.
    Pombal

    ResponderEliminar
  89. Bom dia a todos,

    Acho que é importante não fecharmos este blog a quem queira comentar, esteja ou não registado no Google, no LiveJournal, no AIM, no Wordpress, no Typepad ou outros. Agora, não sei se será boa ideia aceitar qualquer comentário... acho que os comentários devem ser moderados pelos administradores do blog, pois as mensagens de carácter destrutivo e difamatório não devem ser admitidas. É essa a diferença.

    ResponderEliminar
  90. Bom dia,

    Fico satisfeita deste blog ter novamente facilitado a entrada para as mensagens. De certeza assim, a finalidade deste movimento poderá estar mais assegurada.
    Como já disse anteriormente, acho que comentários puramente destructivos devem ser moderados, mas também cabe a nós não darmos dando protagonismo e manter o nível do debate a bom termo.

    Será que amanhã já haverá uma resposta por parte da Natália? Confesso que estou com uma 'coisa' na barriga.
    Abços

    ResponderEliminar
  91. Xaninha,
    Enquanto aguardamos boas novas, com relativa serenidade, continuas presente nos nossos corações e pensamentos.
    Não desistiremos de te ver bem e feliz.

    ResponderEliminar
  92. Olá,bom dia a todos!

    Espero que todos tenham um Domingo lindo, inspirado na esperança de termos boas notícias da Alexandra!
    Tal como a FPtrad, estou de acordo que a melhor solução, provavelmente, será moderar e não fechar o Blog a anónimos. Até já houve uma altura em que achai que o melhor seria fechar mesmo. Mas, de facto, a nossa amiga tem razão. Muitos ficarão de fora injustamente!
    Depois, acho que como tudo na vida, vamos criando "calo"...Vamos aprendendo, nós, aqueles que aqui vimos "botar faladura", como o Sr. Álvaro faz questão de dizer (aqui e no chat), e vamos pura e simplesmente sublimando as coisas positivas, as pessoas que nos dão bem estar com os seus comentários positivos. Aqueles que nos querem trazer para baixo, que fazem questão de humilhar, de maltratar, de insultar...enfim, são cada vez mais ignorados! Daí a sua necessidade de repetirem o mesmo milhões de vezes, aqui, no chat, na estupidez que fazem na petição nacional...
    Para terminar, tal como já tive oportunidade de dizer ao Sr. Álvaro no nosso chat, quem acha normal aquilo que ele acha, não me dá, concerteza, lições de vida! Quem acha normal dar "lambadas" aos filhos, não tem rigorosamente NADA para me ensinar! Lições de vida, recebo-as de quem tem para mas dar, e há, concerteza, aqui muitos que mas dão! Do Sr. Álvaro, não as recebo de todo!
    Um beijo para todos e que a nossa força, nos traga a Alexandra de volta!

    ResponderEliminar
  93. Ola,fico contente por voltar a ter acesso ao blog...tds os dias venho a net ver as novidades da nossa xaninha,e tal como voçes estou ansiosa para saber a resposta da Natalia,peço a DEUS k seja positivo.A essas pessoas k nao nos compeendem,nem respeitam os sentimentos dos outros,(mt menos das crianças),nao devemos dar ouvidos mt menos perder o nosso tempo com eles.Temos k continuar unidos com toda a força de espirito pela ALEXANDRA...........BJS para tds............ISABEL


    LUXEMBURGO

    ResponderEliminar
  94. Olá amigas

    Eu quando disse para criarmos um modo de podermos falarmos ums com os outros sem ser aqui é para não ter que estar a ler coisas desagradáveis sobre a alexandra e o que nos move. Por amor de Deus, eu quero que a alexandra seja falado no mundo inteiro. Desculpem se me fiz mal entender. E quando disse que era a paula barradas, a Carala buarque foi a titulo de enumerar algumas pessoas que de entre todas aquelas que estamos no mesmo barco a torcer paela nossa menina, engloba-as todas.
    Por favor não me interpretem mal, é tudo o que eu não quero. Estou a sofrer tanto com este caso, que só pode haver convergências nas nossas opiniões e atituudes. Digam, por favor, se concordam comigo.
    Um abraço
    Graça Lobato

    ResponderEliminar
  95. ola a todos ...fico contente por ser de novo mais facil .é para dizer que o iban tem um numero a mais acho que é um zero .por favor verifiquem isso se nao torna se dificil enviar dinheiro para a conta ...bjs sao todos maravilhosos. paula luxemburgo

    ResponderEliminar
  96. Graça, boa tarde!

    Eu acho que não há motivos para vc pedir desculpas, a intenção foi boa e entendo que alguns posts são muito agressivos.Penso que os mal entendidos já foram esclarecidos!

    Um grande abraço.

    ResponderEliminar
  97. Concordo co FPtrad. O que me custa é ver comentários difamatórios e contra o bem estar da alexanfdra.
    Como já tive oportunidade de partilhar convosco, a alexandra necessita de encontar o seu equilibrio emocional, e precisa de nós para o fazer. È isso que realmente nós, enquanto grupo e todos quntos queiram ajudar, estamos determinados a fazer.
    Não calculam como tenho sofrido pela Alexandra, por isso me custa tanto ao vir aqui para partilhar convosco, deparar-me com opiniões desagradáveis como já tivemos oportunidade de ler.
    Ontem fiquei de restos, pois uma pessoa dizia-me "sabes, a Alexandra só não ficou em Portugal para não abrir uma guerra diplomática entre portugal e a russia".
    Fiquei chocada, banhada em lágrimas.
    E ainda me disseram para não pensar nisso, deixar o caso para os tribunais e para a segurança social.
    Meus caros, fiquei tão magoada, que mais uma vez jurei a mim mesma não desprezar esta menina e lutar por ela.
    Como é possível haver gente tão fria, sem coração?
    Continuem e ajudem-me a ter força para convosco traze-la de volta.
    Obrigada,
    Graça Lobato

    ResponderEliminar
  98. Há pouco quando disse a alexandra precisa do se equilibrio emocional, queria dizer a alexandra e a natália também, claro.
    A natália necessita precisa de criar em estruturas mentais que a a ajudem a perceber que não está sózinha, ninguém aquer recriminar, apenas ajudar e dar-lhe a mão.
    Para isso ela tem que interiorizae e acreditar mas isso passa por um processo em que ela vai acreditando que é possível. Não pela interrogação dos factos,mas pela consciência da realidade das propostas apresentadas e provavaelmente pelo conhecimento das pessoas que a querem ajudar. Como uma constatação de que realmente é verdade.
    Graça Lobato

    ResponderEliminar
  99. Depois disto, já hoje é domingo e este fim d esemana foi terrível. Ontem andei banhada em lágrimas todo o dia.
    À tarde fui à missa da tarde, digo-vos a homilia foi linda, falava do sofrimento que certas pessoas têm pelos outros, em querer ajudar os outros, e como Deus sabe reconhecer isso e estar com elas. Duarante a missa pensei em todos nós, pedi muito pela nossa Alexandra pela Natália e pela Valéria, que ao regressarem encontrem cá em nós e em todos os que já manifestaram a sua prontidão em ajudar, sintam- se membros desta comunidade.
    Aos pais Florinda e João um beijo muito grande de quem vos quer bem e os admira muito.
    Graça Lobato

    ResponderEliminar
  100. Alguém me pode dizer quanto há na conta da xaninha? Já tenho depositado dinheiro e não tive problemas com o nib. Não sei se era isso que falavam?
    Logo confirmo o nib, está bem?
    Graça Lobato

    ResponderEliminar
  101. Aliás o NIB é o que aparece na página principal deste blog. Que disparate o meu!
    Graça Lobato

    ResponderEliminar
  102. "A Alexandra só não ficou em Portugal para não abrir uma guerra diplomática entre portugal e a russia".
    Infelizmente, essa é a mais pura verdade, Graça...
    Cá em França, houve um caso não muito diferente: um casal franco-russo recentemente separado andava a lutar pela guarda da filha (a mãe é russa e o pai é francês). A criança vivia com o pai em França e, um dia, quando ambos estavam a passear, apareceram uns homens, pagos pela mãe da menina, que agrediram o homem no meio da rua e levaram-lhe a criança. Enfim, um procedimento digno de um bando de mafiosos... Lançou-se um alerta internacional e, quando a mãe e a criança foram encontradas, já estavam na Hungria. A mãe foi presa (vai ser extraditada para França) e a criança foi entregue ao pai. Claro que o Estado russo tomou o partido da mãe da criança. No entanto, as leis francesas são contrárias às leis russas e o Estado francês decidiu apoiar o pai da criança. Agora, parece que ambos os pais decidiram negociar a guarda partilhada da menina. Ainda bem... só foi pena a mãe ter feito o que fez.
    Em Portugal, dir-se-ia que o Estado não tem "tomates" (desculpem o termo, mas não consigo ser branda) para lutar pelo que é justo.

    ResponderEliminar
  103. Sr Miguel Macedo,

    Sou a Paula de Odivelas, já lhe dirigi um mail para o pelaalexandra@gmail.com com algumas sugestões nomeadamente criar um grupo de amigos que tem fielmente acompanhado este blogue pela sua preocupação e carinho pelo com a menina Xaninha.

    Esse grupo de mail servirá para comunicar-mos os nossos endereços de e.mail pessoais para enviar ou tomar conhecimento de iniciativas numa alternativa ao blogue que como sabemos esta exposto a muitos olhares.

    já tenho o mail de algumas pessoas que lhe enviei, por fvaor considere este pedido.

    O outro pedido que lhe fiz foi coordenar um encontro dos bloguistas mas "fieis" e na minha opinião o Santuário de Fátima era um local adequado e bonito... pense também nisto.

    Perdoem-me a insistência... nem me reconheço da 1 mês para cá mas esta história que entrou na minha vida mudou a minha vida... eu nunca fui pessoa de blogues nem de me meter na vida das pessoas, mas esta criança vale tudo ...

    obrigada
    paula

    ResponderEliminar
  104. Sugiro aos administradores do blog para enviarem uma mensagem de apoio aos criadores do blog pela Iara: afinal, a luta deles também é a nossa.

    ResponderEliminar
  105. Ola a todos que leem e seguem este blogue, não sei o que vos move para deixarem um registo neste espaço... em grande percentagem são pessoas que foram afectadas por imagens de uma criança arrancada de uma familia que ama para uma mãe biológica que não conhece e para um destinho desconhecido... quem convive com crianças entenderá o terror que a pobre menina viveu... e quem não tem o prazer de conviver com crianças, já o foi um dia, e lembra-se de que o nosso grande medo era perder os que amamos...

    Porém nesta história, há muitas virgulas, muitos pontos, muitos culpados mas, só uma inocente: a criança.

    As opiniões deste caso podem divergir mas em comum ( exceptuando um ou outro insano que as vezes aparece por aqui)... sabemos que a criança está a sofrer.

    Na minha singela opinião vejo a Natália como qualquer ser humano... que erra mas tem todo o direito de refazer a sua vida...

    E, desconheço as intenções dos outros mas o meu desejo sincero é que haja paz entre as familias interajuda para bem estar de todos... dos pais, da menina, da comunidade, da humanidade...

    Nem eu invocaria ajuda de Deus se atras disto tudo estivesse outro motivo mal intencionado.

    A todos os bloguistas e principalmente aqueles que tem visto a sua vida alterada com esta história eu afirmo que o mundo precisa de pessoas assim ...

    Eu que mais nada posso fazer pela Alexandra, acho eu... vou rezando pedindo a Deus luz serenidade para a Xaninha, para a mãe Natália que aceite um novo caminho na sua vida... e claro para a familia afectiva da pequenina que muito tem sofrido... e sua comunidade... pois imaginem os seus coleguinhas de escola e sua familia mais próxima se eu me sinto tão afectada imagina eles...

    Tenho fé vai tudo correr bem....

    Um beijinho a todos
    Paula de Odivelas

    ResponderEliminar
  106. Cada vez mais convenço-me que os delitos praticados contra as crianças deveriam ter muto mais rigor nas penas. Se as pessoas são pegas com um alto teor de álcool a dirigir, podem até ir parar à cadeia (o q acho correcto) mas o que acontece com os pais que transgridem as leis de protecção das crianças? Vão presas? Não me parece.

    Leiam...

    http://www.algarve123.com/pt/Artigos/3-283/O_Sil%C3%AAncio_dos_Inocentes

    ResponderEliminar
  107. No Aljazeera agora, acabou de passar uma arrepiante reportagem sobre 15 crianças russas, adoptadas por casais americanos que foram mortas por maus tractos...

    ResponderEliminar
  108. Olá a todas não tenho qualquer problema de deixar email aqui para as amigas do blog,recebo publicidade aos molhos e apago de imediato,o que quero dizer com isto que o ponto de encontro deve ser aqui, e mesmo com olhares indiscretos não nos atingem,quando o objectivo é unico...Eu sem vos conhecer tenho já um enorme carinho por vocês todos(as)e tenho a certeza de que um dia nos iremos conhecer,amigos(as) de luta



    RAQUEL

    ResponderEliminar
  109. Sobre o comentário acima que foi falado que a entrega da Alexandra foi um acto "diplomático" para ser leve nas palavras, também penso que isso foi um reforço sim. Eu digo reforço, pq não foi uma decisão inédita o de devolver crianças a pais que não provaram a sua mudança de atitudes e condições.

    ResponderEliminar
  110. ESTOU ANSIOSA POR NOVIDADES,SRS.DO BLOG O CASAL TEM FALADO COM A MENINA? DESCULPEM SER CHATA MAS ISTO DÁ CABO DA SAUDE DE UMA PESSOA.
    UM BOM DOMINGO

    GINA

    ResponderEliminar
  111. Boa tarde a todos
    sinto que estou num país de loucos,leis parvas,juizes inconsequentes,politicos corruptos que só pensam no seu bem estar,e pessoas que não querem saber e tem raiva de quem sabe,restando(acredito que muitos)outras tantas que lutam por causas nobres por aqueles que deviam fazer e nada fazem .

    PAULO
    8

    ResponderEliminar
  112. Boas,

    Posso informar que a D. Florinda falou com a Xaninha, segundo ela está bem.

    ResponderEliminar
  113. Obrigada pelas notícias, Miguel Macedo! É sempre bom termos notícias da nossa Princesa!

    ResponderEliminar
  114. Obrigada Miguel Macedo.
    Caros amigos e amigas, já vos disse anteriormente, a alexandra mudou-me a vida de á mês para cá.
    E são comentários como "não te metas, Não tens uma filha?" Queres adoeçer ainda mais? Já viste como andas?" que me fazem ainda lutar mais.
    Naeus amigos tem sido um sofrimento por uma menina que não conheço, mas que entrou no meu coração como uma filha. Vou lutar por ela, sempre.
    Por momentos parece que me vou abaixo, por isso vos peço, meus amigos ajudem-me a ter força, a por o nosso astral para cima que vamos conseguir.
    Digam se querem que vos deixe aqui o meu e.mail pessoal para podermos trocar ideias.
    Quanto ao encontro em Fátima, estou à disposição para quando combinarem o dia poder estar convosco. No fim de semana passado estive lá, pela alexandra, pela Natália, por nós. Como sabem vivo em Abrantes , estou tão perto de Fátima.
    Mesmo que não estivesse, já vos disse, pelas pessoas e pelas causas que luto e acredito não há distância para mim.
    Esta menina merece tudo o que façamos por ela.
    Digam se é aqui ou onde é que sestão a deixar os vossoa e-mails.
    Graça Lobato

    ResponderEliminar
  115. Fico um pouquinho de nada mais aliviada,obrigado sr.MIGUEL

    ResponderEliminar
  116. olá graça não tem que ir abaixo a alexandra precisa de nós,combinem e eu lá estarei apesar da distãncia eu sou de perto de viseu mas pela xaninha se faz perto. MEU EMAIL É raquelgomesmail@ sapo.pt.

    agora vou sair e mais logo retomarei

    RAQUEL

    ResponderEliminar
  117. Paulo como posso dar-lhe o meu e-mail. Quer que o envie para o pelaalexandra@gmail.com ou quer que o deixe aqui.
    Não tenho problemas em o deixar aqui para ter acesso, todos os dias recebo tanto spam que vai para o lixo, que se receber mais algum terá o mesmo destino.
    O que interessa é trocar-mos iniciativas e opiniões sem estarmos expostos a olhares indiscretos e maliciosos, como disse.
    Graça Lobato

    ResponderEliminar
  118. Meus Amigos e Amigas da Alexandra, nossa filha do coração o meu e-mail é:

    g.lobato@sapo.pt


    Um abraço.

    Graça Lobato

    ResponderEliminar
  119. Paula, desculpe chamei-lhe Paulo. Queria dizer Paula, desculpe.

    ResponderEliminar
  120. FPTrad, segundo um amigo meu russo, a história que ele me contou sobre a criança em França, foi um bocadinho diferente, mas não deixa de ter os mesmos contornos: os pais separaram-se e a mãe levou a menina para a Russia. O pai foi à Rússia e conseguiu levar a criança para França. A mãe foi a França fazer a mesma coisa mas depois foi apanhada na Hungria... Independentemente de quem começou a guerra, o facto é que aconteceu.

    Uma boa tarde para todos

    ResponderEliminar
  121. Pois, Paulo, eu conheço apenas a versão francesa dos factos. Mas acho que a menina foi mesmo "mandada raptar" pela própria mãe e acredito que os russos só sabem aquilo que quiserem contar-lhes... tal como no caso da Alexandra.

    ResponderEliminar
  122. Ah, enganei-me, Paula... chamei-lhe Paulo. As minhas desculpas.

    ResponderEliminar
  123. Boa tarde,

    Só agora tive oportunidade de aceder ao blog e ler os vossos comentários.

    Hoje fui a uma festa de anos com a minha filha que tem 4 anos e ao ver todas aquelas crianças a brincar só pensava na Xaninha e o que estaria a fazer.

    Embora não faça muitos comentários, venho ao blog várias vezes por dia sempre na esperança de novidades.

    Sempre fui uma pessoa com um espirito positivo e continuo por isso acredito no regresso da Xaninha.

    Ela está nas minhas orações e sei que Nossa Sra de Fátima está a olhar por ela e va~iluminar a Natália para aceitar a regressar a Portugal.

    Tudo pela nossa menina e obrigado a todos que não desistem e acreditam que a Xaninha vai voltar.

    Fátima Dias - Sintra

    ResponderEliminar
  124. Boa tarde amigos

    Só agora pude aceder ao Blog pois dediquei o meu dia à minha filha sem nunca deixar de ter a Alexandra no meu pensamento. Qaundo combinarem a ída a Fátima contem comigo o meu é smicaela.rogerio@gmail.com e estou aqui para o que der e vier e morro de ansiedade pelo dia de amanhã para ver se Há novidades da Alexandra. Fiquei muito feliz por saber que a D. Florinda falou com a Alexandra.
    Espero que amanhã todos estejamos todos aqui a festejar.

    ResponderEliminar
  125. Querida Xaninha...

    Dorme bem, Que Deus te proteja...

    Anjo da Guarda
    Alexandra Companhia
    Guardai a sua alma
    De noite e de dia

    Até Breve Xaninha, se Deus quizer

    Paul Odivelas

    ResponderEliminar
  126. FPTrad, tenho vários colegas russos e todos eles estão a apoiar a Alexandra. Só tiver conhecimento desta criança francesa através deles e foi isento de opinião. Eu não disse que a mãe não a tinha mandado raptar. Só disse que parece que a questão parece que tinha outros contornos além dos que descreveu.

    Mas como eu disse, de qualquer modo a pobre criança é que se viu metida no meio de uma guerra.

    ResponderEliminar
  127. Pela Xaninha!
    Espero do fundo do meu coração que os próximos dias tragam boas notícias para a Xaninha!
    Que Deus te ajude a suportar esta prova e a conseguir dar a volta.
    Pombal

    ResponderEliminar
  128. Peço desculpa se for redundante, só agora entrei no Blog e não tive tempo de ler todos os comentários. Mas concordo que este GRUPO, depois de resolvida a questão da Alexandra deve juntar forças e manter-se unido na defesa de outras crianças cujo interesse está a disposição das birras e egoísmos dos Adultos.
    Como já referi em comentários anteriores, em minha opinião, esta questão poderia ser resolvida se as crianças no Tribunal de Menores e família tivessem direito a representante legal. Deste modo, um advogado com a função de defender o que fossem os interesses da criança resolveria, na maioria, os erros de interpretação do tão falado SUPERIOR INTERESSEM.

    Estou disponível para manter a ligação a este grupo (fantástico) mesmo após a resolução da situação da Alexandra. Outras crianças continuam a ser tratadas, pelo sistema de justiça e pelos adultos, como COISAS e não como SERES HUMANOS. E no caso das Crianças, a defesa da sua condição, é fundamental, até para os adulatos, pois toda e cada uma delas tem o potencial necessário para mudar o MUNDO!

    Cá Estarei se assim o entenderem.
    Abraços para todos.
    Marta GMT

    ResponderEliminar
  129. Carta aberta aos Deputados da Nação.

    Exelentíssimos Senhores Deputados


    Escrevo-Vos para demonstrar a minha completa discordância com o que se em termos legais com a Alexandra, a miúda portuguesa deportada para a Rússia.

    Não me cabe na cabeça que as nossas leis, feitas por V. Exªs, permitam que uma menina nascida em Portugal, criada por um casal português até aos seis anos, que só fala português, com muito poucas afinidades com a mãe biológica, que quatro anos antes a havia abandonado após prolongado desleixo e subnutrição, seja entregue a sua mãe biológica, com expulsão decretada pelo SEF, tendo embarcado poucos dias depois para a Rússia, onde nunca tinha estado, sem falar uma palavra em russo. Vive agora numa pequena aldeia, num casebre miserável, sem cama, sem casa-de-banho, sem alguém que a entenda no seu português correcto.

    Não me acredito que isto se pudesse passar em qualquer outro país da União Europeia, para não dizer do mundo.

    Não podemos calar a revolta que nos vai na alma.

    Isto não pode voltar a acontecer.

    Por favor, legislem no sentido de não voltar a haver uma monstruusidade destas.

    Certo da V. melhor Atenção
    Cumprimentos,

    António

    ResponderEliminar
  130. Paula é bom saber que os seus colegas russos apoiam a Alexandra. Para nós é bom saber que podem junto da Natália, através da conversação chegar "mais perto dela" e ela comprender e aceitar o quanto lhe queremos e às filhas.

    Graça Lobato

    ResponderEliminar
  131. Subscrevo a sua carta, António!
    Pombal

    ResponderEliminar
  132. ó sr. Alvaro
    o sr. é teimoso.
    ainda não percebeu que está a perder o seu tempo.
    vá escrever para outro blogue.
    aqui ninguém quer saber da sua opinião.

    faça um blogue para defender essa sua posição.

    estou certo que arranjará muitos seguidores.

    Mas peço-lhe o favor de não voltar a este blogue e muito menos escrever as suas opiniões, que nos chocam a todos.

    será que não tem capacidade para entender isto?

    ResponderEliminar
  133. Alexandra, querida, estás sempre no nosso coração!

    Graça Lobato

    ResponderEliminar
  134. Marta e António,

    Marta, penso também como vc, temos que mobilizar para que haja mudanças dignas de um país civilizado. Um representante legal e também porque não, julgamentos com júri popular? O povo deveria ter o direito de ter voz também, como acontece em outros países. Evitaria que casos assim fossem julgados só com base em papéis e relatórios e que nem testemunhas são ouvidas.

    António,

    Acho que é por aí sim, escrever muito para eles, chatear, cobrar. Há tanto tempo tem-se pedido mudanças nessa lei! Veja a Iara, desde 2007? E ainda não está resolvido. Revoltante. Indigno.
    Pobre Xaninha, pobre família Pinheiro. Nunca vou esquecer quando ouvi o Sr. João dizer transtornado: "a menina pensa que fui eu que a deixei ir! Mas não fui eu!" Essa frase dele me marcou profundamente.

    ResponderEliminar
  135. É por aí, sim! As crianças não podem ficar indefesas nestas situações! Há que protegê-las! Como elementos de uma sociedade, somos responsáveis por isso!

    ResponderEliminar
  136. Olá a todos. Apesar de não deixar muitos comentários, venho aqui todos os dias, várias vezes por dia. Naturalmente os comentários do Miguel Macedo são os que mais espero, no entanto, todos os outros me fazem ver que não estou louca por andar tão obcecada por esta situação. A angustia que sinto por imaginar o sofrimento desta criança é insuportável.

    Força Alexandra. Cada dia que passa está mais perto o teu regresso.

    ResponderEliminar
  137. Xaninha,
    Estamos aqui, à espera de boas novas ou prontos a entrar em acção.
    Conta connosco.

    Entendo a vossa angustia, mas não «saturem» o blog com as vossas repetidas participações.

    ResponderEliminar
  138. Bom dia!

    Mais um dia... pela Xaninha!

    Pombal

    ResponderEliminar
  139. Bom dia

    Pela xaninha aqui nos encontramos espero que seja um bom dia para ela e que a Natália tenha refeletido bem nas decisões a tomar.

    ResponderEliminar
  140. Bom dia,

    Mais um dia pela nossa Xaninha.

    Fátima Dias - Sintra

    ResponderEliminar
  141. Bom dia a todos,

    Mais um dia de luta pela nossa xaninha. Espero ansiosamente pelas novas da Xaninha. Espero que não demorem muito a darem-nos alguma notícia dela e novas instruções por parte da família Pinheiro e administradores do blogue do que fazer.Continuo com forças para para o "que der e vier" pela nossa menina.
    Um beijo para todos
    Susana Martins - Sintra

    ResponderEliminar
  142. Bom dia a todos os amigos da Xaninha.

    Aguardamos boas noticias a qualquer momento.

    Ana Rocha

    ResponderEliminar
  143. Bom dia,pessoal.Hoje temos k estar tds com o pensamento positivo,pela ALEXANDRA,se DEUS quizer elas vao voltar. :)
    Eu desejo k essa menina volte a encontrar o sorriso,o mimo,carinho,as palavras meigas de uma mae,ai em PORTUGAL perto da familia pinheiro.Vou trab,so volto aki a noite :(
    ALEXANDRA estas sempre em meu pensamento,bjs grandes e ate breve........isabel


    LUXEMBURGO

    ResponderEliminar
  144. Bom dia,

    Desde que iniciei a minha participação nesta causa (21 Maio) tento deixar algo que possa contribuir para o regresso de ALexandra e para que situações tão desumanas como esta não se repitam. Os nossos e-mails aos governantes, aos partidos, à UNICEF, aos VIP's, etc. terão conseguido pelo menos que ... "acompanham com preocupação".

    Se os doutos juízes que decidirão a sorte de Iara, quiserem ter a mesma "boa" reputação do que ditou a descida ao Inferno de Alexandra, copie-lhe o exemplo, não a ouça, não respeite o art.º 12 da CDCriança ("... direito de exprimir livremente a sua opinião (...), sendo devidamente tomadas em consideração as opiniões da criança, de acordo com a sua idade e maturidade". Ou será que uma criança de 6 anos não tem idade e maturidade suficientes para entender de que lado está a sua felicidade? Como vimos e ouvimos Alexandra não tinha quaisquer dúvidas.

    Srs Juízes frequentem (com carácter de urgência - termo que vos é tão caro) aulas de desenvolvimento infantil e afins.

    As minhas lágrimas e emagrecimento, guardo-os para mim, como um "segredo"...

    Como já disse anteriormente, uma criança é um comboio em andamento sem paragens. Niguém tem o direito de fazê-lo parar, retroceder ou mudar de linha.
    Se os pais biológicos querem recuperar o amor dos seus filhos, vão atrás deles, apoiem-nos no seu percurso, adaptem-se a eles, mas nunca os obriguem a adaptar-se a vós. Nenhuma criança merece essa crueldade!
    Tenham um bom dia.
    Maria Ferreira

    ResponderEliminar
  145. Chamo-me Carla
    Não consigo parar de pensar na Xaninha,de cada vez que me deito, penso nela e onde ela está a dormir , que tinha um quarto e agora já não têm, nem uma casa de banho para tomar banho e para a sua higiene pessoal, penso como é que ela se sentirá , o que vai na sua cabecinha,passo os meus dias nisto, não consigo concentrar-me no trabalho...de tanto pensar no sofrimento desta criança que deve sentir-se abandonada.
    Desejo que isto se resolva depressa e da melhor forma, tenho uma menina da mesma idade e quando olho para ela lembro-me sempre da Alexandra e sofro muito com isso.

    Quero diser aos pais de coração de Alexandra, que nunca desistam desta menina , espero que não aconteça , mas se a Natalia não quiser voltar a Portugal , façam saber que nunca vão esquecer a Alexandra , mantenham contacto, ajudem-na com alimentação , roupa, falem com ela por telefone, etc, pois assim ela quando compreender o que se passa vai ver que não a esqueceram , e assim tenho esperança que ela um dia volte nem que seja daqui a uns anos. Ainda assim espero que seja breve.
    Bem haja a todos.
    Espero que seja breve

    ResponderEliminar
  146. Muito Bom dia a todos.

    Embora nunca tenha tecido nenhum comentario todos os dias cá venho ver os desenvolvimentos deste "caso" e, a minha angustia é tão grande por me sentir tão impotente, que fico mais aliviada por saber que alguém está a mover todos os esforços por trazer de volta o sorriso desta menina a Portugal. A verdade é que todos nós nos sentimos culpados por esta atrocidade pois foi cometida por adultos.
    Amigos, não desistam todos os que se empenharam nesta causa, pois Deus está do vossos lado.
    Fico feliz pois apesar da nossa sociedade parecer viver esquecida de Deus, a verdade que que a Fé continua no coração de muitas pessoas e a vida só poderá ser bem vivida nessa prespectiva.

    Muita força e muita confiança pois Deus não abandona nunca os mais inocentes e desprotegidos.

    Abraço para todos


    Paula OAZ

    ResponderEliminar
  147. Bom Dia a todos,

    É bom voltar a ter "acesso" a este Blog, visito-o várias vezes por dia.
    Hoje espero ansiosamente para termos a tão aguardada notícia.

    Vamos aguardar serenamente com muita calma que a Natália se decida pelo melhor.

    Sr. Miguel Macedo logo que possível diga-nos alguma coisa nem que seja um olá às vezes já dá para acalmar um pouco os nossos corações.

    Bem haja a todos!!!!!! ESPERAMOS POR TI XANINHA.

    ResponderEliminar
  148. Imaginem o que a menina está a passar a sentir-se longe da sua familia, dos PAIS (sim porque para ela os pais dela estão em Portugal), longe dos irmaos, dos amiguinhos da escola, dos vizinhos.Cada dia que passa, aquele coraçaozinho esmorece, imaginem a tristeza dela, as saudades que terá, a amargura que deve sentir, eu só penso no seu sofrimento, acreditem , nao penso em mais nada, a nossa menina não mostra os seus sentimentos, está a guardar tudo, que pessoa se tornará amanha?
    Já nao consigo ver as imagens do dia em que se foi embora, doem-me cada vez mais. O que é que estamos todos a fazer em prol do seu regresso?
    Escrevemos para partilhar a magoa, mas ELA????
    OS PAIS deveriam fazer mais barulho, Parece que já toda a gente se esqueçeu, talvez se as televisoes mostrassem mais vezes o dia em que foi embora, houvesse mais gente a lutar pelo seu regresso.
    Nao me esqueço de uma reportagem que o Pai Pinheiro deu em que comentou que a Alexandra lhe tinha perguntado se lhe ía acontecer o mesmo que aconteceu á Maddie, se ía desaparecer e se nunca mais os via. Portanto só por aqui podemos imaginar o seu sofrimento.
    Peço desculpa, mas não me consigo convencer de que estão a "tratar do assunto em sigilo", o que é tratar do assunto?
    Já li neste blog, que houve gente da Russia a pensar que tínhamos desistido, porque nunca mais se ouviu falar na nossa menina, será que estamos a agir da forma mais correcta?
    Desculpem mas, a minha revolta dos dias passarem e de sentir a nossa menina tão longe e nao nao ver nehnuma imagem dela, no seu triste dia-a-dia está a matar-me.
    Cristina

    ResponderEliminar
  149. Bom dia!

    Não consigo descrever como me sinto hoje... Rezo e espero...
    Como alguém disse anteriormente fico aliviada ao ver que não sou louca porque todos vocês assim como eu não esquecem um só dia o sofrimento desta menina.
    Oxalá esta corrente não se quebre e depois da Alexandra estar bem e feliz como sempre foi possamos iniciar novas lutas.
    Por agora considero que o melhor é aguardar com calma e serenidade a decisão da Natália e depois logo se vê.
    Um abraço a todos.
    Obrigado por existirem.

    ResponderEliminar
  150. Ao anónimo das 10:43,

    Vamos lá a ter calma, não vale a pena enervarmo-nos, pois as coisas não dependem apenas de nós nem dos administradores deste blog.

    À Liliana,

    Que esta luta seja a primeira de muitas lutas para travarmos juntos.

    Carla Guerreiro

    ResponderEliminar
  151. Bom dia a Tds. Tb sou dakelas que vem aki tds os dias, embora nem sempre comente, no entanto estou mt ansiosa como tds vós em busca de noticias da Xaninha. Bem sei que temos de esperar com calma e serenidade, mas é dificil, pois o unico sitio onde podemos ir sabendo alguma noticia dela é aki, visto que no que diz respeito á Comunicação Social, parece ter caido no esquecimento. Espero que a partir de hj ja possam retomar alguma noticia do que se passa na Russia, para nossa serenidade.
    Obg a tds pela união, pois esta faz a força...

    ResponderEliminar
  152. caros amigos

    em anexo o site da revista SABADO onde poderão ler um artigo sobre a vida a mae da Alexandra

    http://www.sabado.pt/Actualidade/Sociedade/Caso-Esmeralda.aspx

    ResponderEliminar