sexta-feira, 29 de maio de 2009

Imagens da Russia

Não Comento!!!

116 comentários:

  1. Porque será que nao se ve a Alexandra a sorrir em nenhuma das fotos?? Coincidencia nao será concerteza, a tristeza está estampada naquele rosto e naqueles lindos olhos que agora apenas transparecem tristeza!

    ResponderEliminar
  2. Alguém já conseguiu entrar para o programa da SIC para divulgar o Movimento de solidariedade agora no Opinião Pública em directo?

    21 416 11 47

    21 416 11 48

    ResponderEliminar
  3. Não há mesmo comentário possível!!!! Até a cadela parece entender o que a menina sente!
    Oxalá ninguém as separe... Se fosse pela vontade da maioria das pessoas que conhecem a história a xaninha viria hoje mesmo para junto de quem lhe salvou a vida e a fez tão feliz! Arrancaram-lhe o que de melhor existe no mundo o AMOR! Não é por ela viver em condições tão pobres que me aflige é por ver a falta de sentimentos entre ela e a "mãe". Que Deus esteja ao lado dela. PAIS não desistam, já foram tão fortes, sintam o apoio de portugueses e estrangeiros e não desistam desta princesa.

    ResponderEliminar
  4. Não tenho palavras para exprimir o que me vai na alma...impotência, tristeza, revolta!
    Cada vez que vejo os olhos tristes desta menina, penso no quanto ela não estará a sofrer longe de quem ama, e choro...Como crente que sou, só peço a Deus um milagre, que Ele traga a Xaninha de volta e lhe devolva o sorriso!!

    ResponderEliminar
  5. continuo a aguardar por respostas!

    Além de divulgar a manifestação que mais digo??

    Ana Sofia Fevereiro Maurício

    ResponderEliminar
  6. Enviei uma mensagem a contar + ou - a história.
    Espero que leia.
    Dei tb este endereço e o da petição. Disse que já contava com + de 17.000 assinaturas!
    Oxalá esta história toque o coração desta mulher!

    ResponderEliminar
  7. Olá Sofia!
    Diz o que pensas e o que defendes!
    E falas do movimento!
    Boa?

    Sandra

    ResponderEliminar
  8. Ana Sofia, penso que entrei em directo antes de si!
    Depois diga o que disseram, porque não tenho acesso a tv... Obrigada

    ResponderEliminar
  9. Quanto a essa imagem... sem comentários mesmo!

    Sandra

    ResponderEliminar
  10. Rectificação:

    Enviei uma mensagem a contar + ou - a história à Oprah.
    Espero que leia.
    Dei tb este endereço e o da petição. Disse que já contava com + de 17.000 assinaturas!
    Oxalá esta história toque o coração desta mulher

    ResponderEliminar
  11. O artigo é pro-Mãe biológica! Dizem que é uma vitória e que a família afectiva tentou ficar com a Alexandra de forma fraudulenta, mentindo-lhe inclusivamente acerca das condições que iria encontrar na Rússia!
    Aliás, apesar da tristeza no olhar de Alexandra, as imagens são francamente abonatórias para Natália!!

    ResponderEliminar
  12. É a Catarina?

    Sim, entrou primeiro.

    Eu ainda tenho as mãos a tremer. è a primeira vez q falo para a tv.

    O advogado disse q a Catarina tinha razão, que a criança nasceu em Portugal.

    Mas agora está a dizer que por ser família de acolhimento não tem direito à criança.

    Eu falei na questão de Timor e de toda a gente ir para a rua nessa altura e apelei que toda a gente se juntasse ao movimento de solidariedade em Braga.

    Sofia

    ResponderEliminar
  13. E continuam dizendo que a meninca está contente!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderEliminar
  14. Agora telefonou uma sra a dizer que a menina é portuguesa.

    O advogado respondeu a dizer que não que a menina não tem a nacionalidade portuguesa mas sim russa.

    Sofia

    ResponderEliminar
  15. Quem diz que a menina está contente?!

    Ouviram isso da boca da menina?!

    ResponderEliminar
  16. Dizem por dizer, concerteza.. basta olhar para ela para perceber que não, mas é o que o artigo da Life russa diz....

    ResponderEliminar
  17. No site dela, não tem essa informação. Quem quiser enviar um email, deverá registar-se e preencher o formulário de contacto que lá está disponível.

    ResponderEliminar
  18. o q aconteceu ao chat e ao forum? n consigo entrar.

    ResponderEliminar
  19. Vejam isto veio na Agência Lusa!!!
    Não podemos desistir!
    Eu já enviei o email para a OPRAH e fiz estardalhaço no Twitter.

    A Câmara Social junto do Presidente russo, órgão consultivo para assuntos de Direitos Humanos, vai enviar uma delegação à aldeia onde vive Alexandra, para esclarecer as condições de vida da criança e da mãe biológica, disse hoje fonte oficial.

    Isto deve-se à grande ressonância social que o caso está a ter na Rússia.

    A menina, de seis anos e filha de uma imigrante russa, estava à guarda de uma família de Barcelos, em Portugal, há quatro anos, mas uma decisão judicial de 2008 determinou que fosse devolvida à família biológica, apesar dos problemas de alcoolismo que os técnicos referenciaram na mãe.

    O pai, um imigrante ucraniano, vive actualmente em Espanha.

    Na semana passada, a criança, que fala apenas português, passou a viver com a mãe e a avó numa cidade russa, a 350 quilómetros de Moscovo.

    ResponderEliminar
  20. A rádio universitária de Braga vai divulgar a acção a partir de agora. A Associação académica vai afixar placar. Cada um fazendo um bocadinho vamos conseguir. Força!!!!

    ResponderEliminar
  21. Digam o endereço da Oprah. Vamos todos forçar...

    ResponderEliminar
  22. Muito feliz mesmo...!!! que é do sorriso a manifestar essa felicidade que eu não consigo ver?! a Alexandra tem que voltar a Portugal... não sou a favor de se dar dinheiro à mãe biológia...

    ResponderEliminar
  23. Uma sugestão: vejam este site

    http://www.avaaz.org

    E peçam ajuda aos seus animadores, pois eles fazem campanhas com petições online.

    ResponderEliminar
  24. É ir a www.oprah.com

    Depois mesmo em baixo da página em letras mto pequeninas está lá uma coisa que diz: contact us

    É clicar aí.

    Sofia

    ResponderEliminar
  25. O endereço electrónico da avaaz para sugerirem campanhas é:

    campaigns@avaaz.org

    ResponderEliminar
  26. enviem mails a pedir ajuda a menina à tenista russa que é solidária com estas causas, eu já enviei:
    http://www.mariasharapova.com/defaultflash.sps
    Angela.Lavinski@imgworld.com

    ResponderEliminar
  27. Caro senhores do blog deviam de fazer uma lista dos e.maols para onde deviamos de enviar mails para alertar para esta causa e divulga-la no blog... já foram tantas sugestões é só reuni-las e publica-las

    ResponderEliminar
  28. Eu enviei uma mensagem à Avaaz com um link para a petição internacional.

    ResponderEliminar
  29. http://ultimahora.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1383895&idCanal=62

    entao agora foi de fim de semana com a menina... para onde?

    ResponderEliminar
  30. Sr. Juiz Ponha a mão na consciência e faça alguma coisa... tipo... anular o Acordão...

    ResponderEliminar
  31. Enviem mails a pedir ajuda À menina:

    http://www.mariasharapova.com/defaultflash.sps
    Angela.Lavinski@imgworld.com
    www.ec.europa.eu/commission_barroso/president/contact/mail/index_pt.htm
    moscow@unicef.org

    ResponderEliminar
  32. Resposta no site russo:

    Actually... for russians it's does'nt matter at all. Russia like a man in the middle of the ocean - he is alone and only enemies everywhere. You are enemies. Everyone. It's very comfortable for our politics to show it that way. All problems can be explained by spies and other countries' conspiracy. That how we all live. You all needed to understand that.

    ResponderEliminar
  33. Peço desculpa pelo desabafo, mas considero este tipo de diligências uns verdadeiros festivais de hipocrisia e um atropelo descarado aos Direitos das Crianças, além de ser também uma violação atroz à pertinente tranquilidade que estes casos solicitam e requerem… Que me desculpem todas estas boas vontades e todos os jornalistas que ganham a vida à custa do mediatismo destes inocentes, mas, no meu justo entendimento, acho que estamos constantemente a ser manuseados por gente que trata de assuntos delicadíssimos com o propósito de usufruir de relevância mediática, a troco dos seus escassos escrúpulos e da sua curta inteligência… Penso que quem gosta realmente destas crianças não entra nestes “festivais” mediáticos, e quem tem dois dedos de testa não expõe estes inocentes às agruras deste triste “circo”… Um circo representado por gente sem decoro e por gente que se aproveita dos infortúnios alheios para criar protagonismo.

    Afinal os Tribunais e os Governos sabem resolver estes casos de uma forma mais discreta: sem meterem a imagem dos “inocentes” ao barulho, e sem darem hipótese a outros seres mais crescidos e menos cândidos, de se aproveitarem das crianças para exibirem o que eu acho que não deve ser exibido… E é em nome de todas as crianças que são usadas pelos adultos para participarem nestas sevícias mediáticas que exprimo esta minha discórdia e esta minha revolta. Haja Vergonha e salvaguardem os inocentes!

    ResponderEliminar
  34. Ouça lá, já agora o que é que você propõe? Acha que devemos ficar caladinhos perante esta injustiça? E que tal identificar-se? É tão fácil cagar sentenças diante do ecrã de um computador!!!
    Vá ver se chove e, olhe, já agora, não volte!!!

    ResponderEliminar
  35. I`m from Russia. I don't know portuguese and only can write in English
    i`ve seen a TV program about Sandra. It`s awful!!!! Poor child!!! I love my country but I think that Child should live in family that can give her a happy childhood, in family that loves her. And I think this is her Portugal parent family... Not Russian.
    In Russian we try to do something for return Sandra to Portugal (letters to government, writing in blogs, TV program...) And I hope She can return finally to her loveling portugese family. Lets try to help her togerther ...

    ResponderEliminar
  36. Esta foto está de veras GENIAL, dou os parabéns ao fotógrafo que a fez pois conseguiu captar não apenas uma imagem mas também sentimentos. E o olhar de cumplicidade mútua entre ela e o animal é o que torna a foto BELA!

    Em relação à validade e utilidade das petições online sugiro a leitura deste artigo:

    http://movv.org/2009/01/19/da-validade-e-relevancia-das-peticoes-online/

    Quanto ao sr prates, em relação ao seu 1º parágrafo se quiser viver num mundo onde não aconteça o que descreve, vai ter de apanhar a primeira nave e voar para um planeta à sua escolha!...
    Até o senhor ao cá vir está a aproveitar o mediatismo que este site já conseguiu para mostrar a sua indignação... Ou seja, está a fazer o que você próprio critica! incrível não é?

    Quanto à imagem dos inocentes não percebi bem mas se está a referir-se à divulgação de imagens da criança é necessário ter cuidado pois neste momento quem detém (pelo menos segundo a lei portuguesa) os direitos de imagem da menor é a mãe. E ela pode perfeitamente não querer ver a imagem da sua filha na Internet. Mas como é um caso mediático pode ser que passe...

    Cump.

    ResponderEliminar
  37. Sr. António Prates,

    Tem toda a razão!!! Talvez fosse boa ideia ir dizer isso a Alexandra!!!

    Já agora, não a incomode muito, pois deve estar muito ocupada a tentar entender o que se passa à sua volta!!


    Sou irónico, pois é com ironia que se responde a comentários (pessoas) irónicas!!!

    ResponderEliminar
  38. A Imagem está fantástica.. Pena que por seu lado negativo..

    ResponderEliminar
  39. boa tarde a todos, só agora pude entrar e por pouco tempo.
    Caro Prates, se a Alexandra não tivesse, dentro do muito azar que teve, gritado desesperadamente, hoje ninguém estaria a defendê-la, ninguém saberia da sua tristeza a 4000Km de distância.
    Está mais do que provado que não podemos entregar o destino, muito menos o das crianças, nos doutos magistrados e mais não digo...
    Parabéns a todos os que estão desse lado a tentar tudo por tudo!
    Maria Ferreira

    ResponderEliminar
  40. Sim, a imagem é triste mas ao mesmo tempo bela, a fotografia é bela quando transmite sentimentos, sejam positivos ou negativos, só por isso é que digo que está GENIAL...

    ResponderEliminar
  41. Tive uma ideia de saída "airosa" para o Putin e Demitri:
    Não há a possibilidade de após conversas com a Alexandra, retirarem-lhe a nacionalidade russa com o argumento de que não identifica com os valores russos, etc?
    Assim, não perdiam o orgulho nacionalista porque ela era uma "ovelha negra" no rebanho.
    Algo do tipo excumunhão da Igreja.
    Sofia ou algum craque em inglês podem colocar esta questão aos russos (que não sejam do governo, para não lançarem já uma contra-lei).
    Força, tenho que ausentar-me, mas estava a "matutar" nesta saída para o orgulho nacional.

    ResponderEliminar
  42. O problema é que alguns russos são muito paternalistas. Já me postaram uma foto da Alexandra a sorrir, só para me mostar que ela lá também sorri:

    É andar um bocadinho para baixo para ver a segunda foto:

    http://radulova.livejournal.com/1440506.html?view=90335994#t90335994

    Sofia

    ResponderEliminar
  43. Kate,

    Thanks very much for the help!

    Alexandra needs all of us!!

    Please wright to Oprah and Unicef.

    If you want to add her hi5:

    http://www.hi5.com/friend/profile/displayProfile.do?userid=441532514


    Sofia Fevereiro

    ResponderEliminar
  44. thanks Dear Kate for your support I'm sure that russian people will help this little girl. Sandra or Alexandra will be proud to be Russian. she just need a family like she had... thanks Russia for your concern...

    ResponderEliminar
  45. nao consigo ir ao chat alguem me diz se é geral ou problema meu??? please

    ResponderEliminar
  46. está aqui alguém do chat?

    preciso de saber que dados tem de ter a folha da petição para eu ir recolher as assinaturas!

    ResponderEliminar
  47. Tem que ter o nome, e-mail e bi.

    Temos problemas neste momento com o servidor onde está alojado o chat e o forum. Estamos a tentar ver o que se passa.

    ResponderEliminar
  48. gostaria de saber se a petição internacional tem algum valor juridico visto não pedir o número de BI

    ResponderEliminar
  49. Já se encontra online o chat e o fórum.

    Obrigado

    ResponderEliminar
  50. nao se faz isto a uma criança!!onde esta os direitos da criança q tanto falam?????isto e uma vergonha...

    ResponderEliminar
  51. é repugnante assistir ao que se está a passar no meu país... é repugnante ver o que fizeram a esta criança, e agora assitr ao que não estão a fazer... onde está o sr. juiz agora?! acham que a menina é feliz?! ora experimentem lá deixar a Vossa vidinha boa, a Vossa casa confortável, a Vossa cama com lençois, o cheiro das Vossas coisas, e depois contem-me lá se a Alexandra está feliz... Meus Senhores, urge fazer alguma coisa muita rápidamente!!! urge retirar aquela ciança para onde a mandámos... ela disse que foi raptada... se calhar não se enganou... é revoltante o sentimento de impotencia... a indiferença de algumas pessoas perante este caso!!! Não está arrependido Sehor Juiz? Digo-lhe, que eu uma humilde cidadã portuguesa que tenho de me sujeitar a assistir a isto com resiganação porque nada posso... que se estivesse no seu lugar tinha a minha consciencia bem pesada, e não descansaia enquanto não fizesse tudo o que estivesse ao meu alcançe para corrigir o meu erro!!! Foi um erro... Onde está a Alexandra?! Imagine-se sem a sua vidinha pacata... imagine-se sem as suas referncias... imagina-se perde tudo o que lhe dá segurança... imagine-se a chegar à janela e não conhecer nada nem ninguém?! imagine-se sem conseguir reconhecer-se em nada... Urge retiaar a menina de lá... façam o que puderem... antes que haja uma tragédia e seja tarde de mais!!!

    ResponderEliminar
  52. Isto é uma autêntica vergonha!Linda menina q ñ precisava de passar por isto.

    ResponderEliminar
  53. Para quem quiser conhecer o "Bondoso" Juiz Gouveia Barros

    http://www.correiomanha.pt/noticia.aspx?contentid=7EDDAFFA-D77F-4B3B-AA8C-EA42A7BE6449&channelid=00000010-0000-0000-0000-000000000010

    ResponderEliminar
  54. Calma meus caros, acho que não vale a pena desesperar...

    ResponderEliminar
  55. Será que o pai biológico, sendo ele Ucraniano não pode pedir a guarda da filha visto que sua mãe biológica a tráta mal? Será que por ai a menina possa voltar a Portugal, visto que seu pai vive em braga?

    ResponderEliminar
  56. Não creio que o pai biológico esteja minimanente interessado visto nem sequer se ter pronunciado sobre o assunto.

    ResponderEliminar
  57. Olá à todos,

    Queria pedir a vossa ajuda, dizem que Natália trabalhou num “restaurante famoso”, que parece que era uma espelunca / casa de alterne qualquer. Será que possível arranjar as fotografias deste restaurante / prostíbulo? Para mostrar aos leitores russos o local de trabalho da Natália. Concordo que uma prostituta pode amar a sua criança, até mais do que a sua própria vida, mas isso não é o caso.

    Obrigado.

    p.s.
    podem deixar os links, os contactos no meu blogue

    ResponderEliminar
  58. De coração partido, lamento...
    Tudo é triste!...Oxalá não vejamos um desfecho ainda mais triste...
    Vou à manifestação em Braga, para sentir que faço algo pela Alexandra!

    ResponderEliminar
  59. Olá para todos,
    ((já tinha colocado neste blogue, mas agora não encontro, pfr, não julguem que é spam, acredito que é importante para saberem disso):

    Queria informar, que a Lei da Federação Russa sobre a nacionalidade, não se enquadra no caso da Xaninha, pois os seus pais tem as cidadanias diferentes (situação regulamentada no artigo 15), como tal, pela Lei russa, Xaninha NÃO pode obter a cidadania russa sem o consentimento POR ESCRITO do pai (que este não deu), o facto da mãe ser a cidadã russa é irrelevante, o facto de escrever para presidente russo também é irrelevante.

    Os pormenores da Lei explicadas em russo:
    http://oude-rus.livejournal.com/198932.html?thread=1348116#t1348116

    ResponderEliminar
  60. Sei que vai ser dificil mas estou confiante que vamos conseguir. Só gostaria de saber se os pais afectivos têm contactado com a xaninha e a previsão de a irem visitar.
    Estou um pouco confusa com todas as informações que tenho visto durante o dia mas pelo que compreendi a vinda da nossa menina não é impossível como tinha sido informado na televisão.

    ResponderEliminar
  61. I`m from Russia.

    I have no children. And doubt if i can judge from this point - would i leave my own child to other people? Would i fight for her in situation like this? I do not know. Most probably i would.

    But I’m a babysitter; I work with children and their parents. There are good loving carrying responsible parents in Russia. And this Russian family is definitely not such.
    It does not depend on the place and house she will live - thousands families in Russia and all over the world in other countries live in conditions like this or even worse. And still they raise children with love, doing the best they can.
    But this family definitely does not wish their child better life, taking her from Portugal to Yaroslavl.

    I also doubt my personal opinion may overrule Sandra's (I reject to call her Sasha in Russian!) story and bring her back to loving parents. But I’ve signed petition and I do hope it will help somehow. I wish the publicity could do something.


    PS the article with this photo says Sandra is happy - real shame for people who publish this rubbish.

    ResponderEliminar
  62. Só espero que neste momento a nossa xaninha esteja bem.
    Será que não podemos procurar o pai e pedir-lhe que vá buscar a filha à Russia visto que tem os mesmos direitos que a mãe que e os pais afectivos tomariam conta dela?
    Se o problema fosse o dinheiro para a viagem creio que também se arranjaria

    ResponderEliminar
  63. http://tv1.rtp.pt/noticias/index.php?t=A-Alexandra-tem-agora-uma-nova-vida-no-nordeste-da-Russia.rtp&headline=20&visual=9&tm=7&article=222808&videos_page=5

    Apesar de tudo penso que este video acalmará um pouco os nossos corações.

    ResponderEliminar
  64. A língua portuguesa é a minha pátria.

    Logo a Alexandra é portuguesa.

    ResponderEliminar
  65. Alguma coisa tem que ser feita para ajudar a Xaninha, os seus sentimentos têm que ser tidos em conta, por favor ajudem a Xaninha a manter os laços afectivos com a família de acolhimento, tragam-na de volta com a mãe e ofereçam-lhe condições para poder criar a filha, sem a arrancar violentamente do seu lar, desprezando os seus sentimentos. Este juiz ouviu a diplomacia russa e foi ela que o influenciou, depois o preconceito prevaleceu.Esqueceu-se de que era a vida de uma criança que estava em jogo.

    ResponderEliminar
  66. Sugestão:

    O blog está a ficar grande, com muitos conteúdos, não acham que seria bom um campo de pesquisa, coluna de arquivo dos artigos antigos, etc... essas coisas que normalmente se colocam num blog?

    Fica a sugestão aos admin.

    ResponderEliminar
  67. “ a humanidade deve à criança o melhor de seus esforços”, este juiz não cumpriu esta máxima e, pior do que isto, não respeitou um direito básico plasmado na Carta dos Direitos da Criança": o direito da criança a ser ouvida. Lutemos para que não existam mais "Alexandras" em Portugal. O drama maior é que mesmo que a Alexandra volte a ser maltratada, nada pode ser feito pela justiça para remediar o seu sofrimento e a sua angústia, nem isso este juiz teve em conta. Profundamente lamentável! Expresso a minha solidariedade à família de acolhimento.

    ResponderEliminar
  68. Anonimous / babysitter
    Thank you for your support.
    Please, send the international petition link for everybody you knows http://www.gopetition.com/online/28077.html
    All of us are important to provide a happy future for Alexandra/Sandra.
    Maria Ferreira

    ResponderEliminar
  69. Jest nas Wielu
    Bom trabalho de pesquisa. Parabéns! (ontem tb havia uma pessoa na Embaixada a fazer pesquisa de legislação russa, será a mesma?)
    Receio que não seja preciso o pai, porque ele não quis o poder paternal e como não eram casados, o poder ficou inteiramente com a mãe.
    Se estiver errada, digam.

    ResponderEliminar
  70. Os 2 min. das imagens k pensei k me fossem acalmar a dor k sinto desde que ouvi os gritos dessa cara linda que não para de olhar para nós, pioraram ainda + por vê-la a pedir "pao branco", no meio dakela pocilga sem condições nenhumas.
    K mal fez akela pobre menina para estar a sofrer tanto, para a mandar do paraíso para o inferno?
    Não csigo conter as lágrimas sempre k a vejo. Aparentemente parece bem, mas no funco está a sofrer pk pensa k a "mãe Florinda e o pai João" a abandonaram.
    Peço a todos que no domingo vão a Braga, esu estarei a trabalhar, pk temos k devolver à Alexandra tudo o k ela tinha: comida saudável, o conforto da sua caminha, a companhia da familia de acolhimento, fazer dela uma criança feliz!
    NÃO BAIXEMOS OS BRAÇOS, ELA PRECISA DE NÓS

    ResponderEliminar
  71. Has written about your daughter article at itself in a blog (From Paradise in the Hell), more anything I can not help... I Hope, that the girl will return from this hell...
    All America for you! No pasaran!

    ResponderEliminar
  72. Esta menina está a sofrer profundamente (sei do que falo pq fui vítima de pai alcoólico e de disputa familiar) o trauma permanecerá para toda a vida, esta menina jamais amará aquela mãe se ela não for capaz de a conquistar e amar. Nem quero pensar na angústia daquela criança quando chegar ao infantário sem ter lá os seus animais, que ela sente que são os únicos que lhe dão segurança, e com os quais pode comunicar naquele ambiente hostil. Como foi possível a justiça ter feito isto a esta criança? Por favor, tentem uma desvinculação progressiva, convençam a mãe a voltar a Portugal com a filha porque é isso que a vai tornar feliz. As famílias estão condenadas a entender-se, se querem o bem e a felicidade desta criança.

    ResponderEliminar
  73. O Juiz vai ser castigado
    http://www.correiomanha.pt/Comentar.aspx?channelid=00000010-0000-0000-0000-000000000010&contentid=826B0A1F-964C-4007-A44E-67AFE421DE68
    Deixei o seguinte comentário no jornal: Exige-se (do juiz) um pedido de desculpas público à Alexandra!
    Não acham? Seria um importante reforço para a UNICEF da Rússia, porque as delegações governamentais russas dirão que está tudo bem - concluíram que a habitação tem "condições satisfatórias"...

    ResponderEliminar
  74. Não estarei em Braga porque estou nos Açores. Este caso está a perturbar-me profundamente, tenho 4 filhos e sou professora. Defendo com fervor os direitos da criança e não posso conceber que em Portugal se cometam, em nome da justiça, atrocidades destas, tratando a criança como se um fosse um animal doméstico. "Habituar-se-á", "é a mãe possível para Alexandra" são expressões que não consigo aceitar à justiça, em pleno século XXI, num país europeu que reconhece os direitos da criança.A mãe que Alexandra ama e reconhece como tal, não é Natália,esta negou-lhe a maternidade durante 4 anos, permitiu que ela estabelecesse vínculos afectivos profundos com outra mãe e depois arrancou-a, sem qualquer pudor, como se ela fosse sua propriedade. No reino animal, isto não seria possível, no reino dos homens é! É mais uma prova da extrema crueldade humana. A Alexandra está só, deve ansiar que o seu pesadelo acabe, esperando que aqueles que a amam a tirem daquele ambiente. É quase certo que a sua integração na escola será um drama, tal como a sua vida futura. Rezo para que possa perdoar a quem lhe causou tamanha provação e para que a mãe aprenda a amá-la e a protegê-la. Talvez o contributo monetário possa ajudar, espero que sim e acabei de contribuir. Não esquecamos a Alexandra, a pressão na imprensa poderá contribuir para um melhor acompanhamento sócio-económico. O trauma psicológico só se resolveria com o regresso à sua terra, que é Barcelos, à sua língua materna que é o português, à sua família e aos seus amiguinhos, são estes os elementos estruturadores da sua vida, sem eles estará à deriva em mar revolto, espero que o seu coração acalme e que consiga encontrar a serenidade!

    ResponderEliminar
  75. Num video disponivel no site da rtp, é possivel ouvirmos que a Xaninha tem um primo chamado Alexander
    Ora porque raio mudaram o nome da miuda de Alexandra para Sandra? Se afinal os russos sabem dizer Alexandra...Custava assim tanto manterem... Como se já não bastasse toda esta mudança brusca também lhe mudam de nome. Será que nenhuma assistente social ou psicologo são capazes de dizer isto à mãe. Até pode parecer insignificante mas não é.

    ResponderEliminar
  76. Tenho uma duvida.
    Ao tentar assinar a petição Internacional não encontrei sitio onde pôr o nº de BI.
    Pelo que sei tem que se pôr BI .
    Eu vi mal, ou não tem onde pôr?
    Se não tem digo já que é grave. As assinaturas têm de ter BI.
    Senão esqueçam não aceitam.

    ResponderEliminar
  77. É muito importante a mensagem que está mais acima. Pelo que entendi, A Alexandra ainda não é russa, pois a mãe falou para a sic notícias que tem que ir tratar dos documentos esta semana.

    A mensagem acima diz que ela não pode ter nacionalidade russa sem autorização do pai. Srs do blogue investiguem isto por favor.

    E nós que tal mandarmos email para o nosso presidente a pedir a nacionalidade portuguesa?

    Sofia

    ResponderEliminar
  78. Vem no JN online que Natalia e sua família não querem que João Pinheiro e Florinda vejam mais a criança.

    O programa russo era uma oportunidade.

    ResponderEliminar
  79. У неё нет денег.
    Вы, вообще, знаете, как в деревнях живут?
    По попе её ударила за то, что мешала?

    А мне тоже крёстные родители, мама, бабушка,
    отдали невоспитанного эгоистичного зверька.
    Я на выходные родственникам его отдавать перестал, т.к. они не согласовывают со мной линию воспитания МОЕГО СЫНА!
    Если на моём уровне приходилось очень жёстко его перевоспитывать, по другому не понимал просто, то я плакала через день от того, что так приходилось с собственным сыном.

    А теперь, посмотрите на эту простую русскую бабу, с искалеченной психикой. Вы представляете как ей тяжело?!
    У неё обманом отняли ребёнка, она толи смирилась, толи не знает на кого злится...
    Если бы она хотела денег, то это бы решилось без суда ещё там, уж поверьте.
    Внешне они хорошие, а она нет.
    А с другой стороны, они лишили дочь матери, мать дочери, семью разорвали при живой маме и семье.
    Официально родительских прав её никто не лишал!!!
    Она, с матерью, хорошую дочку старшую вырастила.

    Я тоже была в такой сиуации:
    - ни дома (у мамы 4 квартиры, дедушка по папе занимает высокую должность в правительстве РФ),
    - никто не помогал, только отдельно ему, но я его мать, мы едины.
    - Мне прямо так говорили мы будем заботиться о ребёнке, если ты не будешь лезть;
    - надо было выходить на работу;
    - Мне казалось, что ребёнку с крёстными лучше, они могут ему дать больше;
    - А когда их пьяные гости показывали ребёнку фокус с выдуванием колечек из сигаретного дыма прямо ему в лицо... на мои претензии мне говорили, не лезь в нашу жизнь )))
    - "Да какая ты мать, ты не мать, у тебя условий нет",-сука, эта крёстная мама, не правда ли?

    Появились крёстные, которые не давали видится с ребёнком,
    им по 50 лет у них квартира...
    А мне было жалко ребёнка таскать, и у них вкусно кормят,
    я не могла себе позволить такого.
    А потом, я поняла, что либо ребёнок должен жить со мной, либо я его потеряю. И как только появилась возможность увезла.
    Сейчас я специалист, командировки во Францию, устроенный быт...
    Например рюкзак в школу купила за 7500 клёвый такой, ортопедический )

    Я всего лишь сказала, что сын будет жить со мной )
    Вещей половину не отдали, даже то, что я покупала )))
    А они даже ему не звонят, и трубку не берут.
    Христиане, венчаны, между прочим.

    Суть такая, все, кто пишут про то, что девочку надо забрать у матери,
    и отдать в хорошие руки, нелюди!!!
    Помочь надо родной маме, и если эти чудо - португальцы такие заботливые,
    то не отнимать обманом надо было а помогать.
    И дружить с мамой, а то депортировали маму, они и рады )))
    Есть масса детей под опекой государства.

    ResponderEliminar
  80. Anónimo /BI petição
    Na petição internacional não se pede BI.
    Na nacional, sim.

    ResponderEliminar
  81. Fico sem perceber o sentido da mensagem do homelesssmaind... algum russo pode descodificar? Can you translate, please?
    Percebo que defende que a ajuda deve estar na casa onde está a criança. O resto escapa-me...

    ResponderEliminar
  82. Homelessmaind
    Do you think it's possible the russian government can avoid the Russian nationality given to Alexandra? If yes, after then, the russian governement would can send Alexandra (not russian citizen anymore) to her love parents, right?
    By this way, the national proud will be manteined and the litle girl will be happy.

    ResponderEliminar
  83. Se eu fiz uma boa interpretação das palavaras de Natália numa reportagem na RTP ela disse que as coisas poderiam mudar o que me deixa pensar que ela deve estar aberta a outras possíbilidades o que me leva a pensar que se conseguissemos traze-la para portugal com algumas garantias creio que viria

    ResponderEliminar
  84. O caso Alexandra é mais um entre tantos outros que ocorrem em Portugal, por haver o preconceito de que sendo os pais os responsáveis legais pelas crianças são também os seus donos. Apesar de estar provado que não são os laços biológicos que estruturam a vida da criança, mas os afectos que estabelece com as pessoas com as quais vive nos primeiros anos da sua vida, sejam ou não os pais biológicos. A Alexandra tem um núcleo familiar, a sua casa é em Barcelos e a sua língua materna é o português. Não foi ela que escolheu esta realidade, que não se pode alterar por decreto ou pela sentença de um qualquer juiz. Não reconhecer isto é uma crueldade que está à vista de todos. É por isso que também é uma crueldade retirar uma criança de um lar, mesmo que seja maltratada, se ela já tiver estabelecido com os seus maltratantes laços afectivos. Esta criança não abandonou a mãe, foi a mãe que a abandonou, e não se pode desculpar com a pobreza, porque isso não lhe serve de atenuante.
    Muito marcada com o caso da Alexandra, com o qual me identifico parcialmente, não posso deixar de contar aqui a minha experiência e espero que alguém com poder de intervenção a leia. Não gosto de falar da minha infância, mas pela Alexandra fá-lo-ia em público. Fui vítima de um pai que revejo agora na personalidade de Natália. Não era alcoólico, bebia muitas vezes e nessas alturas descarregava a sua frustração em quem estava ao seu lado. Era uma pessoa sem projecto de vida, andava sempre a mudar de trabalho, com longos períodos de inactividade, tinha um passado de sofrimento e de privações, mas mais grave do que isto, não sabia manifestar afecto. Mesmo quando estava sóbrio, dizia que eu era uma mal-educada, estragada pelos avós e pela mãe, e batia por tudo e por nada. Felizmente, tive quem cuidasse de mim, os meus avós, que no meio de uma pobreza extrema, sempre me apoiaram e a eles devo o que sou hoje. O meu pai marcou para sempre a minha vida; por vingança impediu que estudasse na altura própria, por vingança impediu que tivesse uma infância feliz. Como era muito difícil viver com ele, eu e a minha mãe vivíamos em casa dos avós (eu, sempre, e a mãe nos momentos de maior violência) e era isso que o revoltava, sabia que não tinha condições para prover o nosso sustento, mas era ele que mandava e controlava a nossa vida com crueldade. O meu avô, como o pai de Alexandra, sabia que a lei estava do lado do pai e, fazendo das tripas coração, incentivava as visitas a casa dele para me proteger, sei-o hoje, mas naquela altura não o compreendia. Só queria fechar os olhos e sair daquele pesadelo. Foi uma tortura que tive que suportar até à adolescência, com noites sem dormir e com a angústia e o pavor de me sentir desprotegida. Perdoei-o, cuidei dele quando estava às portas da morte, mas nunca pude sentir qualquer afecto, não vivi com ele nos primeiros anos da minha vida. Recebi o carinho dos avós que, tal como muitas famílias de acolhimento, cometeram erros. Muitas vezes manifestavam a revolta que sentiam à minha frente e isso ainda me causava mais sofrimento. Eu pensava; se ele não presta e se toda a gente diz que é mau, como me podem obrigar a ir visitá-lo? Era o que eu pensava todos os dias quando ia para a cama. Felizmente, tive mais sorte do que a Alexandra, nunca me arrancaram à força da casa dos meus avós! Hoje sei que viveram cada dia da minha infância com pavor de que isso acontecesse, sabendo que isso seria a minha desgraça. Amo-os, porque tiveram um projecto de vida para mim e porque sofreram muito para que eu não o perdesse de vista. Hoje sei que onde quer que estejam se sentem muito orgulhosos pelo caminho que me abriram e ensinaram a percorrer. A minha dor é a de saber que o “fim-de-semana” de Alexandra naquela casa não vai acabar! O futuro dela está marcado para sempre a ferros e aqueles que a marcaram viverão com a mágoa de não poder voltar atrás e apagar este fim-de-semana negro da vida da pequena Alexandra.
    Maria M.

    ResponderEliminar
  85. http://tv1.rtp.pt/noticias/?headline=46&visual=9&tm=8&t=Autoridades-russas-averiguam-condicoes-em-que-vive-Alexandra.rtp&article=223054


    Reportagem de jornalista português na Rússia sobre a Xana

    ResponderEliminar
  86. Porque não colocam na página de abertura fotos da

    Xana em bebé, depois de ter sido entregue aos pais

    de coração, para que as pessoas possam ver de facto

    que o AMOR destes pais tudo superou

    ResponderEliminar
  87. O que importa mostrar ao mundo é que a Xana em

    Portugal estava a receber AMOR .. em contrapartida

    na Rússia, recebe da dita mãe, palmadas e nenhum

    afecto.

    O facto de ser pobre neste caso é irrelevante.

    Não é preciso melindrar a população russa

    ResponderEliminar
  88. Enquanto não conseguimos que a menina volte para cá vamos tentar arranjar condições para ela lá. Estou a mandar emails para marcas que tenham lojas em Portugal e na Rússia a pedir que deêm algum conforto à menina. É uma ideia.

    ResponderEliminar
  89. Leiam isto:

    "Alexandra: Diplomacia russa alvo de fortes críticas na imprensa
    Moscovo, 30 Mai (Lusa) - A diplomacia russa está a ser alvo de fortes críticas na imprensa devido à sua participação no processo de entrega de Alexandra à mãe biológica.
    Lusa
    10:04 Sábado, 30 de Mai de 2009

    Moscovo, 30 Mai (Lusa) - A diplomacia russa está a ser alvo de fortes críticas na imprensa devido à sua participação no processo de entrega de Alexandra à mãe biológica.

    "O Ministério dos Negócios Estrangeiros da Rússia, que colaborou na devolução de Alexandra à mãe biológica, optou pela posição de patriotismo informativo. O tom das declarações dos seus funcionários é clara: não é preciso fazer da mosca um elefante. Embora fosse mais correcto dizer: fazer de um elefante uma mosca, em que se transformou a transferência da menina para a Rússia", escreve o diário Moskovski Komsomolets.

    Na quinta-feira, o Ministério dos Negócios Estrangeiros da Rússia acusou órgãos de informação russos e portugueses de publicarem "artigos claramente provocatórios" sobre este caso."

    Ainda há liberdade de imprensa na Rússia, apesar do Putin e do Medvedev! Abençoado jornalista!

    ResponderEliminar
  90. Ao que escrevi no post acima acrescento que a menina irá tentar esconder os seus sentimentos, tentará trancar a sua mágoa e procurará não deixar transparecer o que está a sentir, ela sente que isso a torna menos vulnerável, menos exposta e mais próxima da normalidade, foi o que eu sempre fiz, mas o sofrimento interior é inimaginável, só quem já o sentiu o pode avaliar.
    Maria M.

    ResponderEliminar
  91. Sobe as petições online:
    (já tinha indicado um link sobre isso)

    Nas petições online se pedir BI obrigatório poucos vão assinar.
    Se pedir opcional, poucos o vão preencher porque é um dado pessoal.
    Mesmo não pondo as petições online têm SEMPRE valor simbólico que mostram ao mundo que estão a favor de uma determinada causa.

    ResponderEliminar
  92. Anonimo que falou sobre isso:

    Além do BI têm de ter a morada para serem legais, e o próprio site de petições diz que quandos mais campos tiver menos assinantes irás ter...

    ResponderEliminar
  93. sim, tb acho que a menina irá tentar esconder os seus sentimentos. As crianças funcionam dessa forma e é a maneira de se tornar menos vulnerável perante a mãe biológica que poderia reagir agressivamente. Daniela

    ResponderEliminar
  94. Desculpem que vos diga isto, mas tendo em conta que a criança não vai voltar de forma alguma para Portugal e para junto da família de Barcelos, é preciso ponderar bem as opções.
    Não acham que será melhor para a Alexandra que de ora em diante lhe demos todo o apoio possível - e à família russa - para evitar que ela passe por todo este trauma novamente?
    É que por aquilo que estou a ver, toda esta atenção e pressão mediática, é bem capaz de ter o efeito perverso de colocar Natalia sobre um escrutínio excessivo, e à mínima falha, retiram-lhe a Alexandra para a colocar numa instituição. E muito sinceramente, isso é algo que eu não desejo que aconteça. Quero ver a Alexandra feliz e não novamente enredada em teias burocráticas.
    Neste momento creio que prolongar eventuais animosidades e agir com o coração - algo que é inevitável em casos destes - será contra-producente. Não quero dizer com isto que ponhamos esta história de lado e esqueçamos a Alexandra. Nada disso. Vamos, isso sim, ajudar a Alexandra da melhor forma possível. Vamos torná-la feliz na sua nova realidade. Ela tem a cadelinha Lúcia, agora com cãezinhos, ela tem a irmã Valéria, a quem se afeiçoou desde o princípio. Creio que ela pode vir a ser feliz com o passar do tempo.
    Não vamos mais diabolizar a Natalia, esse tempo já passou e isso não produziu efeitos.
    Sugiro que centremos os nossos esforços em algo igualmente válido e importante: evitar que situações como esta voltem a acontecer.
    Aquilo que o Juiz de Guimaraes disse é grave, mas sucede mesmo nos Tribunais de Relação. Os recursos são julgados apenas através de papéis, de documentos, não há testemunhos, não há audições, não há o conhecer as pessoas e ouvir os factos e olhá-las nos olhos e perguntar às crianças com quem elas querem ficar. Isto porque a quantidade de trabalho que um juiz tem de ter para analisar processos é inversamente proporcional à hierarquia dos Tribunais...
    Ser promovido tem que ter as suas benesses, claro.
    Sugiro que se utilizem as assinaturas das Petições para criar um documento, elaborado por alguém idóneo ligado ao meio e que sabe de facto o que está a dizer - não me ocorre alguém mais capaz que o Dr. Luís Villas-Boas, do Refúgio Aboim Ascensão - e o ajudemos neste demanda, para que seja enviada à Assembleia da República, juntamente com as assinaturas, uma proposta concreta para que esta debata, com urgência, alterar e agilizar as leis e os procedimentos relativos à protecção de menores em risco. Para que as crianças sejam de facto protegidas, e o seu superior interesse seja expressamente colocado na lei como sendo algo mais importante que tudo o resto.
    Sugiro também que se crie uma conta em nome da Alexandra, para onde serão canalizadas as verbas obtidas com a conta que entretanto foi criada.

    ResponderEliminar
  95. Alguém sabe se o SENHOR JOÃO e a DONA FLORINDA têm mantido contacto telefónico com a XANINHA nas últimas horas ou dias??? por questões profissionais não tenho visitado o blog por favor digam-me o que se passou com a petição eu já tinha assinado e agora tenho de voltar a assinar desculpem a ignorância mas estou a "leste". ó pessoal vamo-nos ANIMAR porque ninguém nos vai CALAR sei que é MUITO DIFICILIMOOOOOOOO que a PRINCESA volte mas em vez de calar vamos GRITAAAAAAAAAAR para a podermos acompanhar e ajudar tenho muito medo que ao denunciarmos os maus tratos daquela mulher me levem a PRINCESA para algum orfanato. FORÇA PESSOAL VAMOS TODOS PARA A RUA AMANHA BELÉM E BRAGA nao podemos calar e dizer sim senhor juíz seja feita a sua vontade aqui na terra e lá lá e lá onde senhor juíz para onde foi mesmo que mandou a nossa PRINCESA HAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA também não sabe?

    ResponderEliminar
  96. BELÉM? O QUE ESTÁ PREVISTO?. MARCHA DAS MULHERES? OPTIMA IDEIA PARA DIVULGAR PETIÇÃO E ASSINAR, VÃO ESTAR MUITAS MULHERES E HOMENS:PAIS, MÃES,AVÓS,AVÕS,TIOS, TIAS, IRMÃOS, IRMÃOS, TODA A GENTE VAI ASSINAR, ESPERO ISSO?

    ResponderEliminar
  97. ESPERO QUE APROVEITEM A IDEIA EM MASSA A ASSINAR A PETIÇÃO!

    ResponderEliminar
  98. espero que a menina vanha para portugal e que a mãe dela não lhe bata mais.

    ResponderEliminar
  99. Miguel Macedo
    Por favor tenham em atenção as palavras da Natália na entrevista que ela deu à RTP,em que diz que as coisas possam vir a mudar.
    Os Pinheiro que a acarinhem, que se entendam com ela e que lhe seja dada uma nova oportunidade no nosso país, desta forma teriamos a Xana de novo.
    Quer-me parecer que a decisão de voltar para a Rússia foi uma precipitação e uma certa vingança para com os Pinheiro. Pelas palavras dela,presumo que já se tenha arrependido de ter voltado para a Rússia e de viver naquela miséria, afinal já estáva cá hà alguns anos, talvez ela esteja à espera de uma proposta da família. Pelo bem da Xana deixem os ressentimentos de lado e pensem nisto, afinal os Pinheiro querem o bém da menina!

    ResponderEliminar
  100. Sabem dizer se os pais sempre vão á Rússia esta quarta-feira

    ResponderEliminar
  101. Se conseguirmos dinheiro para ajudar a mãe e a Alexandra, ela volta com ela. Talvez seja possível, se a familia Pinheiro tiver ânimo e força para continuar a lutar pelo bem estar da menina, colocando-a acima da sua tranquilidade, admiro-os muito, porque tenho a certeza de que estão a sofrer muito. Mas não é fácil adoptar simultaneamente a mãe e a filha, acho que eles já se sujeitaram a muito, seria necessário que a justiça reconhecesse o seu erro e as autoridades se dispusessem a ajudar. As crianças não dão votos e as autoridades não se envolverão por questões de diplomacia. A solidariedade pode fazer milagres! Se conseguirmos arranjar uma casa, se as autoridades concederem a nacionalidade à mãe, se a conseguirem convencer de que isso é o melhor para a menina, talvez seja possível o milagre, continuemos a sensibilizar as pessoas para esta luta.

    ResponderEliminar
  102. Há sempre a hipótese de um volte face, depende como tudo será preparado. A ideia do comentário não é despropositado e se houvesse uma aproximação amigável entre a Natália e a D. Florinda, o sr. João e que a menina fosse ouvida, muito importante este ponto. A Alexandra tem opinião, seria uma tentativa de apaziguamento e a criança poderia regressar, agora se a Natália é orgulhosa...está ferida. Esperemos que possa haver a boa vontade de fazer a menina sorrir. Reagimos sempre a quente depois acalmamos e podemos dialogar e neste caso faz falta o diálogo. Temos raiva à Natália, se calhar também se sentiu persona non grata, e uma pessoa sem estrutura psicológica falhou no mais elementar que foi deixar a menina, mas podem dar-lhe uma segunda oportunidade e as nossas autoridades portuguese que fizeram a asneira agora podiam muito bem dar-lhe o estatuto de emigrante,até porque tem uma filha portuguessa. Seria ouro sobre azul. Enquanto se está neste empasse esta ideia seria de amadurecer,poderia haver a tentativa de aproximação com a mãe,recuperá-la, as pessoas têm que ter sempre uma segunda oportunidade. Não estou a dizer com isto que não se deve continuar a luta e a pressão internacional , somente uma dica que pode ser aproveitada. Se os papás vão à Rússia deviam tentar perceber se para ela seria viável a ideia. Também a Valéria parece uma boa menina e atenciosa com a mana, porque não a trazer também para cá? Todas estas coisas devem ser questionadas. Era uma família que podia ser restruturada, a viver num país onde podiam ser maia falizes.Tem que ser orientado por tecnicos penso eu. Vamos insistir nisto!Quanto à lei da Federação Rússa parece que não se aplica ao caso da Alaxandra. Alguém que consiga obter esta informação e estudar o assunto.
    A esta hora já foi a manifestação em Braga, espero bem que tenha sido muito grande. Quero pensar que o football não tenha tido influência na participação em massa, enfim! Espero que não!

    ResponderEliminar